Na viagem que fiz para o Marrocos, tanto na ida como na volta, voei com a Royal Air Maroc,  companhia que há mais ou menos 3 anos opera voos diretos entre São Paulo e Casablanca. Eles têm cerca de 50 aviões e voam para 50 países, quase toda a Europa e também América do Norte. Daqui do Brasil os voos partem às terças (voo diurno), quartas e sextas (voos noturnos). Os voos de volta – de Casablanca a São Paulo – são às segundas (voo noturno), quartas e sextas (voos diurnos).

Leia Mais:

Como é voar de British Airways?

Como é voar na Air Canadá?

Como é voar na Swiss Air?

Monumento em Marrocos

Vantagens:

O voo direto entre Brasil -Marrocos é a melhor vantagem de voar pela companhia. Em menos de 9 horas você está no seu destino. Outras opções, como a TAP, sempre passam pela Europa antes, aumentando pelo menos meio dia a extensão da viagem. Não só é tempo que você perde no destino como também te deixa mais cansado.

voando pela royal air maroc

Pesquisando pela web, a Royal Air Maroc já ganhou título como uma das “15 piores do mundo pra viajar”. Olha, pra quem voou pela TAM boliviana (Transporte Aéreo Militar da Bolívia), a Royal Air é um paraíso. Os aviões da Royal Air Maroc não são lá um primor de limpeza, mas é tolerável. A TV na ida tinha poucas opções de filmes em inglês e todos eram bem antigos. Na volta, o avião nem sequer tinha  as TVs individuais. Mas tudo isso são detalhes. Sobre a comida (foto), também não espere nada do cardápio. Minhas duas refeições – jantar e café – foram bem limitados. Frango frio na janta e no café não tinha nem manteiga pra passar no pão.

Uma vantagem é que tanto na ida como na volta o voo não estava lotado, então dá pra ir deitado em uma fileira com 3 poltronas.

E o melhor de tudo: o preço pode chegar a menos da metade de outras companhias.  Só não entre no avião achando que vai ser o melhor vôo da sua vida.