Um dos meus destinos favoritos no mundo são as Ilhas Gregas, uma mais linda que a outra. A sorte dos viajantes é que sempre haverá por lá uma nova ilha para voltar e conhecer. Ano passado tive a chance de voltar à tradicional ilha de Santorini, e conhecer a maravilhosa Milos, ambas nas Cíclades – um grupo de ilhas no sul do Mar Egeu.

Como chegar

Para chegar às Cíclades a partir de Atenas, além da opção aérea é possível pegar ferries desde o Porto Piraeus. As empresas principais que permitem compra de passagem online, com site em inglês, são: Hellenic Seaways, Jet Seas e Aegean Speedlines. Por questões de logística optei fazer o trajeto das ilhas gregas: Atenas – Santorini – Milos e de Milos voltei para Atenas.

O melhor de Santorini

Chegamos em Santorini por volta de 13h00 com a Jet Seas (61,50 euros o trecho) e tomamos um taxi até o hotel Villa Rose, em Thira, a capital da ilha. Almoçamos no restaurante Ellis, com uma vista linda e acesso fácil desde o hotel. Os preços no Ellis são mais caros, como a maior parte de Santorini, que tem como público alvo os turistas. Porém ele oferece opções acessíveis com a fórmula entrada + prato + sobremesa, e a comida é realmente deliciosa. No fim da tarde conseguimos carona com a van do Villa Rose até a agitada Oía (se pronuncia Ía), cenário do pôr do sol mais famoso do mundo. Para fechar nosso dia tomamos bons drinks por lá mesmo, curtindo o burburinho da região.

Pôr do Sol em Óia

Pôr do Sol em Óia. Foto: Stéphanie Moscoso

Em nosso segundo dia fizemos um passeio de barco ao redor da ilha com a Pelagos Cruises, em esquema semi-privativo, mas na verdade só tínhamos nós 5 no barco. O preço ficou em 115 euros por pessoa com almoço estilo churrasco grego e bebidas, inclusive vinho e ouzo (a cachaça grega), além de wifi (haha #vicio). O Ilias, capitão do barco, foi extremamente solícito além de ser muito divertido, nós adoramos! Passamos por todos os pontos principais da ilha: a praia de Areia Vermelha (Red Sand Beach), a praia Branca (White Beach), as rochas indígenas de Akrotiri, o farol, a Caldera com suas águas termais, Oía e Thirassia. A noite resolvemos jantar no Vulcano Blue, em Fira, com ambiente super agradável e comida boa, apesar do atendimento deixar a desejar.
No dia seguinte nos levantamos cedo e fomos novamente à praia de Areia Vermelha. Essa praia tem a areia bem escura devido as atividades vulcânicas, e é uma praia de agito, com muitos visitantes. De lá seguimos para Oía passear. Almoçamos no Floga, um restaurante incrível, com vista privilegiada e culinária moderna – foi um dos restaurantes que mais gostei nas 3 semanas que passei na Grécia.

Red Sand Beach

Red Sand Beach. Foto: Stéphanie Moscoso

Em nosso 4 e último dia fomos até a Santo Wines, a vinícola mais tradicional da ilha, fazer degustação dos vinhos gregos. A vista de lá é imperdível, de tirar o fôlego mesmo! E o preço super acessível: 9 euros por 3 taças de vinho #pirei.

Depois de algumas horinhas por lá fomos até o Nikolas Taverna em Fira, um restaurante que engana por ser bem simples e pequeno, mas é um dos mais conceituados. Tanto a comida quanto o serviço são ótimos. O senhor Nikolas é um amor de pessoa, super simpático!

nikolas taverna grecia

Seu Nikolas

Ficamos andando por Fira e fomos tomar nossos últimos drinks em Santorini no Two Brothers Bar, um bar que é super animado a noite e tem drinks excelentes e ótimos preços. No fim do dia fomos com a van do hotel até o porto e seguimos rumo à Milos, novamente com a Sea Jets (52,50 euros).

santo wines

Milos

Chegamos em Milos por volta das 20h e tinha uma pessoa da Milos Cars nos aguardando para nos levar a locadora de veículos. O aluguel de carros na ilha é MUITO barato e REALMENTE necessário, são poucos “ônibus” e fica muito muito difícil se locomover dependendo de transporte público ou taxi. A reserva foi feita no site da Milos Cars com depósito de 30% antecipado e o resto no local. Reservamos um Jeep 4×4 por 255 euros por 4 dias de diária (éramos 5 mulheres com muitas malas), já carros econômicos pequenos sai por volta de 30 euros a diária.

Seguimos rumo ao Milos Achivadolimni Bungalows and Camping, que, apesar do nome, também é um hotel com suítes dispondo de frigobar, ar condicionado, piscina, etc. A região de Achivadolimni fica afastada do centro, onde está o porto Adamas, numa praia que leva o mesmo nome. Como carro é indispensável em Milos, a localização não fez diferença alguma na nossa estadia, e a hospitalidade da Efi, a dona do hotel, foi simplesmente espetacular. Apesar de não ter café da manhã incluso na nossa diária, a Efi nos ofereceu como cortesia todos os dias de manhã café e bolo.

milos achivadolimni bungalows camping grecia.

Em nosso primeiro dia fomos as renomadas praias de Tsigrado e Firiplaka. O acesso com mapa físico é meio complicado, eu acabava usando o googlemaps no 3G então talvez seja melhor incluir o GPS na hora da locação do carro. Apesar disso, dirigir em Milos exige certa cautela por ter trechos não pavimentados e bem estreitos, mas não tivemos problema. Partimos bem cedo pela manhã, por volta das 7h30/8h e foi ideal porque as praias estavam completamente vazias, a maior parte de turistas só chegava depois das 10h30. Acho importante também que a pessoa leve garrafas de água e outras coisas para beber e comer, pois fui em meados de Junho e não havia absolutamente nada por lá!

tsigrado

Tsigrado. Foto: Turista Per Caso

Tsigrado visto de cima

Tsigrado visto de cima

A praia de Tsigrado é linda, mas tem o acesso um pouco difícil, tem que descer uma escada no mesmo esquema da praia do Sancho em Fernando de Noronha, com a passagem estreita e uma corda. É uma praia bem bonita mesmo, de água cristalina e visual mais selvagem. A instantes de carro fica a praia de Firiplaka, na minha opinião uma das praias mais maravilhosas que eu já vi na vida, e vazia! É uma praia extensa, com pedras enormes formando sua costa.

firiplaka grecia

Firiplaka

Saímos de Firiplaka e fomos até Paleohori, onde tivemos um almoço tardio no excelente restaurante Sirocco. O menu é voltado em frutos do mar, com preços super baratos (bem melhor que em Santorini), inclusive tomamos uma garrafa de vinho local rosé por 4 euros. Isso mesmo, 4 euros!! É uma praia bonita e mais “jovem” com vários esportes de água sendo oferecidos além de tavernas e restaurantes. Curtimos a praia pelo resto da tarde e terminamos indo para a região de Adamas a noite jantar qualquer coisa e visitar as lojinhas.

paleohori grecia

Paleohori

No dia seguinte partimos cedo para conhecer as praias de Sarakiniko, Papafragas, Firopotamos, Agia Kiriaki e Paleohori. As três primeiras se encontram na região norte da ilha e optamos começar pela mais famosa, Sarakiniko.

Essa praia é bem diferente de qualquer outra em que já estive pois tem uma forma “lunar”, graças a ação do vento e das ondas em suas rochas vulcânicas. Apesar do sol, ventava muito no dia que fomos e já tinham mais turistas também.

Ficamos um tempo ali e partimos para Papafragas, numa super saga já que seu acesso consiste em uma entrada super discreta e tivemos que perguntar para várias pessoas na rua como chegar lá. É como uma “caverna aberta”, com um buraco no qual é possível nadar na água cristalina grega, mas é bem pequena e para chegar é preciso fazer uma caminhadinha em descida.

É legal para visitar mas não para passar muito tempo, por isso fomos para Firopotamos em seguida. O acesso de carro é bem ruim pois é muito estreito e em determinado trecho só passa um carro, achei perigoso. Chegamos lá por volta de 12h e fiquei um pouco decepcionada em relação às demais praias, além de extensão mínima é uma área onde tem muitos pescadores.

sarakiniko

Sarakiniko

Resolvemos sair de lá e seguir para a praia de Agia Kiriaki, no sul de Milos. Essa foi uma das minhas preferidas, a cor da água era simplesmente inacreditável. Uma verdadeira piscina em pleno mar, nunca vi nada tão transparente. Apesar de ter alguns restaurantes e bares perto, a praia estava praticamente vazia. Um paraíso!

praia agia kiriaki

Agia Kiriaki

Em nosso terceiro dia em Milos fizemos o passeio que eu mais queria na viagem inteira: um dia de barco ao redor da ilha e visitando algumas outras “mini-ilhas” mais distantes. Fizemos o roteiro 2 da Milos Adventures Sailing Excursions, que dá a volta em Milos e vai à Poliegos. Poliegos é sem dúvida o lugar que tirou o meu fôlego: a cor da água é azul fluorescente, nunca vi nada igual. Acho que é a mesma coisa que se tem nas Ilhas Jônicas, mas em plena Cíclades.

poliegos grecia

Poliegos, Grécia. Foto: Barbara Tigre

Nesse itinerário passamos também pela atração principal de Milos, a famosa praia de Kleftiko, cujo acesso se dá apenas de barco. Com águas cristalinas, cavernas e rochas, Kleftiko resume bem a impressionante beleza natural de Milos. O passeio custa 80 euros por pessoa e inclui lanche (sanduíche, frutas, snacks), bebidas (incluindo vinho e ouzo), um rico almoço de frutos do mar e até sorvete de sobremesa.

Rochas de Kleftiko

Rochas de Kleftiko

Em nosso quarto e último dia em Milos fomos visitar Plaka, a capital da ilha, localizada a 220m acima do nível do mar. Para chegar lá além das limitações de acesso (as ruas são bem estreitas, carro grande sofre), também não achamos fácil estacionar. Apesar disso, vale a pena a visita pois é possível ter vistas panorâmicas lindas de Milos e ilhas vizinhas. No morro ao topo de Plaka está o Castelo (Kastro), com muralhas que serviram para observação de piratas e prevenção de ataques na época medieval. É lá também onde fica a igreja mais famosa de Milos, a Assunção da Virgem, do século 13.

Vista do Kastro

Vista do Kastro

Já das ilhas gregas que eu não conheço, mas morro de vontade, três estão o topo da lista: Mykonos, Patmos e Zakynthos. Na verdade eu já passei um dia em Mykonos em 2009, mas isso e nada é a mesma coisa, não é mesmo?

Mykonos

Mykonos é uma das ilhas gregas mais conhecidas, ao lado de Santorini e igualmente nas Cíclades. Diferente de Santorini, onde prevalece o espírito romântico, Mykonos é conhecida por sua vibe descolada e de diversão garantida para os jovens com muitas festas e vida noturna. Com sua arquitetura pitoresca, Mykonos oferece atividades para pessoas de todos os tipos: bater perna em Chora, ver o pôr do sol em Little Venice, nadar em Super Paradise, Psarou (a praia do disputadíssimo restaurante/balada Nammos) Kaio Livadi e Agio Sostis (onde fica o famoso restaurante Kiki’s), além dos bares e boates da cidade de Mykonos.

Patmos

Talvez essa seja uma das ilhas gregas mais desconhecida desse post, mas Patmos vem se tornando destino garantindo dos jetsetters do mundo todo, merecendo assim seu lugar ao sol. Essa bela ilha localiza-se no Dodecaneso, perto da costa da Turquia, é considerada a “Jerusalém” do Egeu: foi ali onde João escreveu o livro do Apocalipse. É por isso que as mais importantes atrações na ilha são o Monastério de São João, no topo de um morro em Chora, e a Caverna do Apocalipse, entre Chora e Skala. As praias de destaque são a exclusiva Psili Ammos (com acesso apenas por barco a 45 minutos de Skala), Sapsila (conhecida por ter as águas mais quentinhas de Patmos) e Agriolivadi.

Zakynthos

Para fechar esse post com chave de ouro, deixei para o fim Zakynthos, também conhecida como Zante, com sua famosíssima Navagio Beach. A principal das Ilhas gregas Jônicas, Zakynthos recebe quase meio milhão de turistas a cada verão – inclusive muitos que partem rumo a área de Laganás, conhecida por ter festas 24h. A estonteante Navagio Beach pode ser acessada apenas por barco, embora possa ser vista de um mirante com vista panorâmica. Originalmente chamada Agios Georgios, por volta de 1981 as autoridades gregas perseguiram um navio supostamente contrabandeando vinho e cigarros, o “Panagiotis”, e este acabou encalhando na praia. Daí surgiu o novo nome: Navagio Beach (praia do Naufrágio) ou Shipwreck Beach (praia do navio encalhado). O navio até hoje se encontra abandonado na areia branca da praia, compondo o cenário mágico de Zakynthos.

Navagio Beach

Navagio Beach. Foto: Tourismontheedge

E você, já foi para alguma dessas ilhas gregas? Tem alguma outra que você quer muito conhecer? Conta pra gente 😉

Anotaí:

Sea Jets 

Santorini

Villa Rose Fira 

Pelagos Cruises

Floga 

Santo Wines

Volcano Blue 

Two Brothers Bar 

Nikolas Taverna 

Milos

Milos Achivadolimni Bungalows and Camping 

Milos Cars 

Milos Adventures Sailing Expeditions 

Sirocco 

Você sabia que é obrigatório fazer um seguro em viagens à Europa?

Se você estava pensando em viajar sem um seguro viagem para a Europa, saiba que isso pode se tornar um problema na hora da imigração. Então é bom anotar uma dica importantíssima para quem está planejando a viagem para lá: O Seguro Viagem para qualquer destino da Europa é obrigatório.

O motivo? É o Tratado de Schengen, que estabelece a livre circulação e obrigatoriedade do seguro viagem em 26 países europeus. Já que nos planejamos tanto para as férias, criamos expectativas, investimos dinheiro, não vale a pena arriscar qualquer contratempo que pode estragar tudo isso. Você pode conferir as histórias de nossos colunistas que contam o por que vale a pena contratar um seguro viagem.

Para encontrar boas ofertas em seguro viagem, nós recomendamos o site Seguros Promo. Ele compara os preços e coberturas das principais seguradoras do mundo, como SulAmerica, Assist Card, GTA, Affinity, entre outras. Por lá, você pode conferir as apólices que mais tem a ver com a sua viagem e contratar a que você achar melhor.

Como a gente gosta bastante dessa ferramenta, nós conseguimos um desconto de 5% no Seguros Promo para nossos leitores!  É só usar o cupom DICASDEVIAGEM5 no site, clicando aqui.