O outono chega por aqui e a primavera começa a colorir o outro lado do mundo e ao contrário de nós, tem gente celebrando muito essa mudança de clima por lá!

Vocês já devem ter lido em algum lugar que os indianos celebram a chegada da primavera com um lindo festival das cores chamado Holi. Há quem diga que Holi é o carnaval indiano e, embora os motivos sejam bem distintos, o sentimento é sim, bastante parecido.


Já contratou seu seguro viagem?
Economize nos melhores planos com o cupom DICASDEVIAGEM5.
Clique aqui e confira!


 

Holi Festival das Cores na Índia. Foto: Patrícia Schussel Gomes

Holi Festival das Cores na Índia

Holi Festival das Cores na Índia. Foto: Patrícia Schussel Gomes

Acabei de voltar da Índia e, no dia que eu estava indo embora, minha despedida foi um belo jato de água perdido no caminho ao aeroporto. Naturalmente qualquer pessoa ficaria de mau humor, mas eu sei que foi a despedida perfeita: era Holi se aproximando e a alegria da primavera dando as boas-vindas ou, no meu caso, me pedindo para ficar.

Pois é… dessa vez tive que ir embora só com o jato d’água, mas eu já tive o prazer de vivenciar Holi duas vezes por lá e hoje é dia de contar um pouco como foi minha rotina na capital indiana durante as semanas que antecedem o tão esperado festival das cores.

Vida em dias de festival das cores:

Morei por quase 2 anos em Nova Delhi, onde a maioria da população é Hindu e onde o festival de cores Holi é bastante tradicional.

Ia para o trabalho todos os dias com os populares tuk-tuks, um dos meios de transporte mais comuns na Índia que, como todos sabem, são consideravelmente abertos. Assim como nosso carnaval, quando Holi se aproxima é um verdadeiro fuzuê, e todos começaram a me alertar que eu chegaria molhada no trabalho ao menos uma vez, mas eu não imaginava que levaria “balõezadas” de água vindas de qualquer grupinho de crianças em que o tuk-tuk cruzasse pelas ruas. Como em Holi todo mundo acaba voltando a ser criança, o jeito era entrar no clima, subir no terraço do trabalho ou de casa e declarar guerra oficial de balões com a vizinhança toda – pura diversão! 🙂

Holi Festival das Cores na Índia. Foto: Patrícia Schussel Gomes

tuk tuk

Roupa suja?

Não, não se preocupem, eu não manchei nenhuma roupa. Assim como as escolas de samba só saem nos dias de carnaval, esses pós coloridos também só são usados no dia do festival e os balões de água são só um ensaio do que está por vir – ainda bem, afinal, essa lambança toda demora algumas semanas de longos banhos para sair.

Como é o grande dia do festival na Índia

Finalmente, na manhã do festival das cores Holi, você não tem muita escolha: se não quiser participar, não ouse sair de casa! Assim como a alegria que contagia qualquer um que passa, aqueles pós colorem tudo o que encostam. Parece mesmo uma guerra, não é?! Do bem, é claro, mas reza a lenda que tudo realmente começou com uma guerra entre o bem e o mal, da qual não é difícil imaginar quem foi o vencedor.

Holi Festival das Cores na Índia. Foto: Patrícia Schussel Gomes

Holi Festival das Cores na Índia. Foto: Patrícia Schussel Gomes

Holi Festival das Cores na Índia. Foto: Patrícia Schussel Gomes

Holi Festival das Cores na Índia. Foto: Patrícia Schussel Gomes

Holi Festival das Cores na Índia. Foto: Patrícia Schussel Gomes

Holi Festival das Cores na Índia. Foto: Patrícia Schussel Gomes

Holi Festival das Cores na Índia. Foto: Patrícia Schussel Gomes

A primavera chega com as cores e, com ela, o único dia em que toda a hierarquia de castas, diferenças sociais e religiosas se camuflam no meio de tantas cores. É o único dia do ano em que todos podem se abraçar e comemorar juntos pois, teoricamente, os deuses não conseguem enxergar no meio daquela fumaceira colorida que toma conta do país.

A origem religiosa do festival das cores

Como todos os festivais indianos, Holi também tem um grande motivo religioso. Os rituais para celebrar o Deus ‘Vishnu’ – o vencedor desta luta do bem contra o mal – já começam na noite anterior com muitas fogueiras espalhadas pelas cidades, onde uma boneca de ‘Holika’ (a rainha dos demônios) é queimada para relembrar a história que deu origem ao festival.

Quando o dia amanhece e os demônios já foram queimados, todos estão animados prontos para celebrar: colorindo suas casas, suas ruas e seus corpos enquanto dançam, cantam, dividem comida e bebem “Bhang”, a bebida tradicional de Holi que até as crianças tomam – curiosamente feita de leite, especiarias e… (pasmem!) CANNABIS!

Como a festa começa cedo, no início da tarde o festival já está chegando ao fim com visitas à parentes e amigos que se juntam para ir ao templo e encerram o dia mais gostoso do ano da melhor forma possível: com uma enorme variedade de doces tipicamente indianos. Estes são presenteados uns aos outros e renovam os laços familiares.

Holi Festival das Cores na Índia. Foto: Patrícia Schussel Gomes

E você? Ficou com vontade de curtir o festival das cores na Índia? Comente aqui.

Leia Mais