Nós já te convencemos através de 10 motivos que viajar para a antiga Pérsia é algo que todos deveriam fazer uma vez na vida. Confira agora meu roteiro e dicas sobre o que fazer no Irã!

Diferente do que muitas pessoas pensam, o Irã é um país grande, com quase 78 milhões de habitantes. Veja o mapa abaixo para ter noção de comparação entre o Irã e o Brasil.

Além disso, a distância entre as principais cidades são relativamente longas, por isso, é necessário dedicar tempo para elaborar o roteiro e pensar no deslocamento.

o que fazer no irã foto: Fernanda Madureira

Leia mais:

Explorando a Jordânia: Como visitar Petra

Porque viajar para o Irã

Tudo que você precisa saber antes da sua viagem para Israel

O que fazer no Irã: meu roteiro e o que vale a pena colocar no seu

A minha viagem durou 20 dias e passei por 5 cidades, Teerã, Kashan, Esfahan, Yazd e Shiraz. Caso tenha mais tempo, vale a pena incluir Tabriz, Kerman e Mashad.

1ª parada: Teerã

Fiquei quatro dias em Teerã, mas recomendo ficar de dois a três dias. A capital do Irã é uma cidade grande com transito caótico. Para quem está procurando o que fazer no Irã, é preciso saber que não pode ficar de fora as seguintes atrações: o Golestan Palace, um antigo palácio real iraniano do Império Cajar e nomeado pela UNESCO como Patrimônio Mundial. Simplesmente maravilhoso! Você pode ler sobre o Golestan Palace aqui (em inglês) ou aqui (em Português).

Outros pontos turísticos que valem a visita no Teerã:

National Jewels MuseumMuseu Nacional das Joias é considerado umas das melhores coleções de joias, pedras preciosas, colares de tempos antigos, diamantes e coleções de joias reais do Irã.

Tehran Bazar – ir ao Irã e não ir em um Bazar, típico do país, não vale! Em todas as cidades é possível encontrar um, mas este em Teerã é gigante: tem mais de 10 km de comprimento.

Imam Khomeini Mosque – Esta mesquita fica situada dentro do Bazar de Teerã e é muito bonita. Coloque no roteiro do que fazer no Irã  #FicaaDica 😉

o que fazer no irã Foto: Fernanda Madureira

Golestan Palace

2ª parada: Kashan

Eu já comentei em outro post que é muito fácil se locomover de ônibus entre as cidades do país. De Teerã peguei o ônibus até Kashan, esta viagem tem duração de três horas.
Vale ficar de dois a três dias em Kashan. Neste período, é possível explorar a cidade que foi considerada local de férias e lazer dos reis iranianos.
Entre os passeios indispensáveis, as casas tradicionais da era Cajar (Qajar) não podem ficar de fora e para os adoradores da arquitetura persa será um prato cheio.
O Fin Garden, também bastante turístico, é um dos mais famosos jardins do Irã e foi projetado como uma visão persa do paraíso. Os Iranianos adoram viajar dentro do país e foi neste jardim que pude conhecer muita gente bacana!

3ª parada: Esfahan

De Kashan fui para Esfahan, uma das cidades mais bonitas e turísticas do Irã, onde fiquei cinco dias, mas recomendo ficar de três a quatro dias.
O que não pode ficar de fora por lá: A Naqsh-e Jahan Square. Esta praça é considerada uma das maiores do mundo e também foi nomeada como Patrimônio Mundial da Unesco. Ela fica rodeada de importantes monumentos da cidade, além de possuir um jardim belíssimo onde os iranianos adoram fazer piquenique. Aproveite para fazer piquenique também e conhecer novos amigos.

Outras atrações em Esfahan que valem a visita:

Mesquita Sheikh Lotfollah – esta mesquita é pequena, mas sua arquitetura e decoração é maravilhosa e surpreendente. Foi construída para ser uma mesquita particular e atender a família real.

Mesquita do Xá (Masjed-e Shah) – A Mesquita do Xá também é conhecida como Mesquita Imam (nome da praça), devido o termo Xá deixar de existir após a revolução islâmica de 1979. É difícil escolher, mas foi uma das mesquitas que mais admirei.

Palácio Ali Qapu – Oferece uma linda vista da praça, pois o edifício tem 7 andares e 48 metros de altura. Mais lindo ainda são todas as decorações no seu interior. Vale a visita!

o que fazer no irã Foto: Fernanda Madureira

4ª parada: Yazd

Rumo ao deserto, fui para Yazd, uma cidade histórica que possui a segunda maior população do Zoroatrismo. Passar dois dias por lá são suficientes para conhecer e explorar bem a cidade. Não deixe de visitar o Ateshkadeh (templo do fogo do zoroastrismo). De Yazd é possível também fazer tour para o deserto. Eu fui para o deserto Mobarakeh Bafgh ver o pôr do sol e reservei nas agencias de turismo que ficam na própria cidade.

5ª parada: Shiraz

Fui de ônibus de Yazd para Shiraz, em uma viagem com duração de aproximadamente seis horas. Vale ficar em Shiraz de três a quatro dias, que são suficientes para explorar as principais atrações da cidade, entre elas:

Aramgah-e Shah e Cheragh – um conjunto de prédios religiosos com mausoléus e mesquita. É um local muito sagrado para os Iranianos. Lindo de se ver, sentir e colocar em seu roteiro de o que fazer no Irã!

Aramgah-e Hafez (Tomb of Hafez) – é um memorial com o tumulo do Hafez, um dos poetas mais adorados do Irã. Um lugar muito agradável com jardim e música. Se você der sorte, vai poder admirar algum iraniano recitando seus poemas.

Mesquita Rosa (Pink Mosque / Masjed-e Nasir-al-Molk) – este passeio é imperdível! As janelas dessa mesquita têm vidros coloridos e no nascer do sol é possível ver o reflexo deles em todo seu interior, formando uma belíssima paisagem.

De Shiraz, não perca a oportunidade de fazer o tour para Persépolis e/ou Pasárgada. Eu fui para Persépolis, uma das capitais do Império Persa e utilizado para celebração do ano novo persa que ocorre em março. O tour custou 30 dólares.

Quer saber mais sobre o país? Veja as dicas para uma viagem ao Irã neste post. Comente também o que achou dos passeios para colocar em seu roteiro de o que fazer no Irã aqui!