Mas pra qual lugar? Quando? Quanto dinheiro? É seguro? Mas assim, sozinha? Por que lá?

Esses são só alguns dos milhares de “mas” que as pessoas colocam na frente de qualquer questionamento sobre uma viagem independente, por mais confortável que ela possa ser.

Eu não posso dizer que fui do Oiapoque ao Chuí, mas já fui do Paraguai ao Paquistão e posso tentar ajudar um pouquinho com isso – serve?

Leia Mais:

5 formas de viajar sem pagar hospedagem

Tudo que você precisa para enfrentar o medo de viajar sozinha!

Livres, ousadas e sem lar: o que as fez trocar o conforto de casa pelo inusitado ao redor do mundo

Patricia Schussel Gomes - Meu primeiro mochilão

Patricia Schussel Gomes - Meu primeiro mochilão

Patricia Schussel Gomes - Meu primeiro mochilão

É claro que não é tão simples assim, então vamos começar pelo começo. A minha primeira grande viagem sozinha foi em 2006 quando eu fiz minhas malas e fui morar na Nova Zelândia sem plano algum. Eu tinha minhas passagens, reserva de hostel para os primeiros dias e só! Obviamente eu quase infartei de tanto nervosismo e dei aquela choradinha básica logo que pisei no aeroporto de lá me perguntando se tinha como dar um “ctrl z” naquilo tudo e voltar pra minha zona de conforto que, neste momento, parecia a melhor ideia. Mas não demora nada pra esse sentimento misto e desesperador se transformar na melhor experiência da sua vida. Afinal, qual outra opção você tem que não seja sair, se virar e permitir-se conhecer todas as pessoas incríveis ao seu redor?

Patricia Schussel Gomes Primeiro mochilão

Patricia Schussel Gomes - Meu primeiro mochilão

Patricia Schussel Gomes - Meu primeiro mochilão

Hoje em dia, isso tudo pode parecer muito distante da minha realidade, mas toda grande jornada começa com um primeiro passo, não é? E este primeiro sentimento é o verdadeiro divisor de águas em nossas vidas.

Preparado ou preparada para seu primeiro mochilão? Conta pra gente!