RUMVOLUÇÃO

Enquanto a polêmica Brasil versus Cuba rola solta por aqui, eu decidi ir lá pra tirar as minhas próprias conclusões. O pessoal fala tanto “vai pra Cuba” que o post de hoje vai te levar justamente pra essa tão encantadora ilha caribenha.

Carros antigos em Havana - Cuba

Pode parecer um comentário clichê, mas eu preciso começar o assunto dizendo que, de fato, viajar em Cuba é como uma viagem no tempo. E eu não digo isso somente pelos famosos carros antigos ou pelas clássicas construções de La Habana Vieja, mas sim porque os Castros fizeram (e fazem) um trabalho árduo para manter a ilha parada no tempo. Tirando a estranha tranquilidade visível no país hoje em dia, a impressão que dá é quase a de voltar na época da revolução cubana, e eu me pergunto se nosso hermano Che Guevara ainda seria o braço direito de Fidel se estivesse vivo assistindo a dura ditadura de hoje. Mas eu não to aqui pra me aprofundar em opiniões políticas e nem poderia… todo esse mal também tem seu lado positivo e é nele que eu quero focar. Por mais dura que seja a realidade cubana, a riqueza cultural só é como é e continua impressionando qualquer tipo de pessoa exatamente por ter sido mantida assim: intacta. A beleza da ilha mais fotogênica do mundo vai muito além do que qualquer foto possa representar.

Praia em Cuba

Foto: Patricia Schussel

Lion Fish no mar de Cuba

Capitólio no centro antigo de Havana

Imagine um dos lugares mais inspiradores do mundo sem nada para fazer além da arte. Com comida simples e escassa, rara comunicação tecnológica, internet discada à 5 dólares por minuto, um único jornal, canais de TV com o alento das novelas brasileiras competindo na audiência com noticiários locais ou venezuelanos (quanta ironia!), e só. A arte passa a ser um meio de sobrevivência, e não só pelas generosas gorjetas turísticas mas também por um tipo de sobrevivência de corpo e alma. É o que mantém os sorrisos mais sinceros que já vi dentro de uma realidade tão cruel.
A música, a dança, os cantos e cantadas, o calor, a tormenta, o tabaco, o rum, o mar, o cais, as risadas, os gritos, os chapéus, os lenços, o espanhol cortado, as cores fortes ainda mais calientes que o sol… tudo isso parece fazer parte de uma bela obra cinematográfica, mas não. Cuba é um país utópico.

Musico de Rua em Cuba

Dança tradicional de Cuba

Tradicional charuto Cubano

De mochila ou de rodinhas, Cuba é um país caro.

Não pensem vocês que eu me dei o luxo de ficar em hotéis que escondem a realidade por trás das cortinas – muito pelo contrário. Eu fiquei hospedada ilegalmente na casa de um amigo por alguns dias e, no resto da viagem, me hospedei em casas de famílias, as famosas “casas particulares”.

Mas pera aí… ilegal?!?!

Pois é. Ou você acha que o Sr. Fidel Castro permitiria que uma reles mortal, como eu, se hospedasse em uma residência cubana sem que ele tirasse proveito disso? As então chamadas “casas particulares” são casas registradas pelo governo com permissão para hospedar pessoas em uma ou mais habitações por um preço preestabelecido.

Quarto de uma "casa particular" em Cuba

Viajar em Cuba sai caro e eu já sabia disso antes de ir pra lá, mas ainda assim acreditava que eu conseguiria usar meus super-poderes de mochileira e arrumar uma maneira de driblar os preços absurdos impostos pelo governo para explorar turistas. Minhas táticas não costumam falhar, mas meu erro foi pensar que os preços absurdos eram somente para turistas. É chocante pensar que, mesmo com a cesta mais básica das cestas básicas e um salário de míseros 20 dólares ao mês, os preços de alimentos e produtos de higiene pessoal ainda assim são absurdos e só podem ser comprados por cubanos no “mercado negro”. Fato é que Cuba não é parecido com nada que estamos acostumados ou que já vimos antes. Infelizmente eu não encontrei nenhuma forma milagrosa de diminuir os gastos da viagem, tudo em Cuba é controlado pelo governo, inclusive você, uma vez que está lá dentro. Mas posso tentar ajudar com algumas dicas básicas:

Hospedagem

A forma mais econômica de se hospedar é viajando com mais uma ou duas pessoas que possam dividir os gastos das habitações nas casas particulares, portanto, se viaja sozinho, trate de se juntar ao primeiro mochileiro que cruzar a sua frente.

Alimentação

Restaurantes cubanos que turistas normalmente não frequentam são muito baratos e a comida é um exagero, são os típicos pratos para toda a família meter o garfo. Além do ótimo custo-benefício, é uma grande oportunidade de vivenciar um pouco mais da cultura cubana pois turistas tradicionais realmente não são esperados nestes lugares. Para encontrar esses restaurantes, você só precisa pedir à um cubano de confiança e ser totalmente claro no que procura. Nós estávamos em 3 mulheres e sempre pedíamos um único prato de comida, que era bastante saborosa e mais do que suficiente.

Bebida tradicional de Cuba

Transporte

Negociar taxis não-oficiais sempre é possível e pedir carona à dedo também. Os cubanos ajudam demais uns aos outros, até mais do que poderiam, e com certeza irão te ajudar também com o maior prazer se você tiver aberto para respeita-los e conhecê-los. Fuja desses taxis antigos maravilhosos que te cobram dinheiro até para tirar uma foto, garanto que uma carona em um carro autenticamente caindo aos pedaços vai te proporcionar muito mais diversão!

Taxi Cubano

Por do Sol em Cuba

Familia tradicional de Cuba

Cotidiano em Cuba

Cotidiano em Havana

Brincadeira de criança nas ruas de Cuba

Criança cubana

Acho que se eu pudesse resumir tudo em uma única dica para realmente conhecer Cuba por trás das cortinas, eu diria para conversar muito. Os cubanos, além de estarem sempre dispostos a te ajudar, são extremamente inteligentes e amam bater um bom papo. É lógico que falar espanhol vai facilitar muito a sua vida, mas se você não domina o idioma, não deixe de tentar pois cada conversa com um cubano é um aprendizado que não tem preço e provavelmente um preconceito a menos na sua forma de ver as coisas.