A nossa colunista Patricia Schussel conheceu as cidades sagradas de Jerusalém e Belém e afirma que a viagem é indispensável para qualquer um. Ela conta como deixou de ser cética por lá em um relato pessoal emocionante.

viajar a jerusalem

Antes de mais nada, acho que é muito importante deixar claro que eu não sigo nenhuma religião, inclusive sou o tipo de pessoa que não gosta de entrar em templos e também nunca me emocionei com nenhuma história religiosa – a minha religião está na natureza e é ali que eu me encontro. Pode-se dizer que sou meio cética e talvez eu realmente seja, se cético for aquele que duvida de tudo até que se prove o contrário.

Pois bem, algo nesta região me provou o contrário.

Eu tinha muita curiosidade pra conhecer Jerusalém, lugar onde tudo começou e que, apesar de tão sagrado, nunca esteve em paz em nenhum momento da história da humanidade. Pra mim, especialmente nesta visita, paz se tornou algo muito relativo que está dentro de cada um de nós.
Fiz um tour que me levou para Belém na Palestina, a cidade onde nasceu o menino Jesus, e pela antiga Jerusalém, onde ele foi crucificado, morto e sepultado. Apesar de bastante curiosa, eu não estava esperando muito emocionalmente falando, afinal, como eu disse, nunca me emocionei com nada relacionado à religião, mas eu já me emocionei com histórias de pessoas, com momentos, com a energia forte de algum lugar, com livros… bem, acho que foi um desses livros que me fez chorar nessa visita.

viajar a jerusalem
No meio de um turbilhão de sentimentos e pensamentos na minha cabeça, é impossível não pensar no motivo dessa terra ser o que é até hoje e não ser um lugar de paz como deveria ser. É uma concentração tão forte de energias que se misturam por aqui que este local parece ser o tal do “céu” e “inferno” ao mesmo tempo…
Acendi uma vela nesta visita no meio de muitas lágrimas. Pela primeira vez na vida, fiz um pedido. Obviamente, nada tinha a ver com nenhuma religião, mas sim com amor e respeito.
Pedi que este sentimento que vivi nesta visita à Jerusalém e Belém prevaleça sob qualquer religião. Pedi que todo mundo consiga viver em paz com a certeza de que queremos sempre a mesma coisa independente do que se acredita.

O que é verdade ou não, já não importa mais.