Estou de volta nesse país incrível que é a Costa Rica para preparar mais um documentário! Sempre em busca de lugares perfeitos para a prática de Stand up Paddle, comecei minha jornada nesse paraíso da América Central pela região de Tamarindo. Por aqui, praias com ondas de ótima qualidade, boa comida e um visual de tirar o fôlego.

por do sol na praia negra na costa rica

por do sol na praia negra

A região tem muitos hotéis e pousadas com diárias que variam de US$ 40,00 a US$ 200,00 para duas pessoas. Eu optei pelo hostel Backpackers, onde a diária do quarto compartilhado para oito pessoas sai por US$ 15,00.

No quesito gastronomia, Tamarindo oferece diversas opções. Tudo vai depender do gosto e do orçamento do viajante. Um fast food sai, em média, por US$ 10,00. Já os restaurantes especializados em cozinhas italiana e japonesa, por exemplo, podem variar entre US$ 20,00 e US$ 40,00. Uma curiosidade gastronômica: um dos principais pratos típicos da Costa Rica é o gallo pinto, que vem com arroz, feijão preto e carne de frango com linguiça. Tudo bem temperado com pimenta! E detalhe: os costa-riquenhos têm por hábito degustar essa maravilha logo pela manhã.

Voltando às praias, as principais dessa região são:

Playa de Tamarindo:

Localizada bem no centro da cidade, é perfeita para quem quer aprender a surfar ou remar de stand up. As ondas são pequenas, facilitando a aprendizagem, e existem diversas escolas no local.

Avellanas:

O acesso a essa praia a 12 km ao sul de Tamarindo é de chão batido, mas as ondas de ótima qualidade compensam o deslocamento. Em dias de maré seca, porém, é preciso cuidado, pois o fundo do mar tem bastante pedra e areia.

por do sol na costa rica

Playa Negra:

Situada a 6 km ao sul de Avellanas, essa é uma das principais praias da região. As ondas são mais fortes e o fundo do oceano também é de pedra. Ou seja, onda para surfistas mais experientes.

aventura na costa rica

playa negra na costa rica

Playa Negra na Costa Rica

surf na praia negra na costa rica

Depois de curtir esses dias em Tamarindo, me preparo para seguir viagem em direção ao extremo sul do País, onde conhecerei a segunda onda de “esquerda” – quando a formação da onda começa da esquerda para direita – mais longa do mundo, chamada Pavones. E você, vem comigo?