“Durante meus 9 dias de viagem fiz 6 passeios no Chile, 5 dos quais foram fechados com a agência Inca Coya, embora não foram todos realizados por ela.

Cronograma:

Dia 1: Chegada em San Pedro de Atacama e Tour Astronômico da agência SPACE OBS, que custa $20.000 pesos chilenos (US$ 30) e dura por volta de 2h30.

Dia 2: Tour por Lagunas Altiplânicas, Piedras Rojas, Laguna Tuyacto, e Laguna Chaxa. Não são todas as agencias que fazem o passeio às Piedras Rojas, e é importante conferir se mesmo as que fazem incluem a Laguna Tuyacto, pois nem sempre é o caso. Em média esse tour sai $50.000 pesos chilenos e dura o dia inteiro (7h30-16h30).

Dia 3: Tour pela manhã aos Geysers del Tatio e Tour pela tarde ao Valle de la Luna, que em média custa $10.000 pesos chilenos e dura aproximadamente 4h (16h-20h).

Dia 4:  Tour pelo Salar de Tara, em média custa $45.000 pesos chilenos e dura o dia inteiro (8h-17h).

Dia 5: Saímos para o passeio ao Salar de Uyuni, na Bolivia. Fizemos o tour com a agência Estrella del Sur, e custou $115.000 pesos chilenos pelo passeio de 4 dias e 3 noites, mas o retorno é pela manhã do 4 dia. Vou deixar para contar a experiência na Bolívia num próximo post, ok?

Dia 8: Retornamos a San Pedro pouco antes das 12h e fizemos o passeio das Termas de Puritama pela tarde, que custa em média $12.000 pesos chilenos e dura 3h30 (14h-17h30).

Dia 9: Transfer para o aeroporto de Calama e retorno ao Brasil 🙁

OBS: Os valores citados referem-se aos preços cobrados pelas agências não incluindo, portanto, o preço de entrada em algumas atrações!

Além disso existem outros passeios que não fizemos no Atacama, como:

1) Laguna Cejar y Ojos del Salar – realizados às tardes, normalmente por volta das 15h ou 16h. A Laguna Cejar apresenta alta concentração de sal, o que faz com quem esteja nela flutuar. Nós não fizemos esse passeio por algumas razões específicas: já conhecemos o Mar Morto em Israel, então flutuar ali não era algo que nos interessasse especificamente; a água da Laguna é muito gelada e como faz frio no Atacama, eu pessoalmente não iria curtir; e, principalmente, é um passeio BEM caro, por volta de $30.000 pesos chilenos, já que o valor de entrada é mais alto que o valor cobrado pelas agências para te levarem ali.
2) Valle do Arco-Íris – realizado pelas manhãs. Não fizemos por falta de tempo mesmo, ficou para a próxima viagem!
3) Pukara de Quitor – é um passeio realizado de bicicleta e, como eu não sei andar, ficou para a próxima vida! hahaha
4) Vulcão Lascar – dura pelo menos 1 dia inteiro para subir.
5) Valle de la Muerte – esse passeio normalmente é realizado junto ao Valle de la Luna à tarde e foi nosso único problema da viagem – a excursão que fizemos apenas passou pelo Valle de la Muerte, não o visitamos.

Os passeios:

Tour Astronômico

Para fazer o tour é necessário reservar com antecedência e uma importante dica é encaixá-lo no inicio de sua viagem já que depende da visibilidade, o que te dá margem para remarcá-lo se for o caso. Nosso tour foi feito em francês e o inicio foi às 21h, mas as 20h50 é necessário pegar um microônibus no centro de San Pedro que leva o grupo ao observatório. Durante pouco mais de 2 horas você fica do lado de fora da casa do astrônomo Alain Maury, onde ele explica teorias sobre a origem do universo, mostra constelações, estrelas e dá uma verdadeira aula. Por ser realizado ao ar livre, faz bastante frio e é importante estar bem abrigado. Há vários telescópios disponíveis para observação e o Alain explica o que eles nos mostram. No fim da visita ele ainda convida todos a tomarem chocolate quente, café ou chá dentro de sua casa enquanto aguardamos o microônibus de volta à San Pedro.

Piedras Rojas

(aproximadamente 4.000m altitude) De todos, esse era o passeio que eu mais queria fazer! Eu havia visto fotos da Laguna Tuyacto e do Salar de Águas Calientes, onde ficam as Piedras Rojas, e simplesmente me apaixonei! Antes mesmo de chegar no Chile eu já sabia que seria o meu dia favorito na viagem inteira. A Inca Coya nos pegou pontualmente as 7h30 e seguimos, num grupo de 8 pessoas (3 brasileiros e 5 franceses), para nossa primeira parada: o café da manhã 😀

piedras rojas atacama chile

De cara tivemos uma surpresa: a guia Mariana fala fluentemente português pois já passou uma temporada no Brasil. Tanto ela quanto o motorista Sebastian foram super simpáticos e solícitos e, além do português e espanhol, eles também falam super bem inglês.
Tomamos café da manhã no restaurante Cocinería Bartolomé, e foi o típico café da manhã que vimos na região: café, chá, suco, pasta de abacate, pão e queijo. Simples mas bom. Em seguida partimos para as Piedras Rojas e a Laguna Tuyacto, localizadas no Salar de Aguas Calientes. Gente, não subestimem o Atacama, é Deserto mas venta muito e faz frio! Nesse passeio eu consegui ficar tranquila com um poncho (!) de lã, mas eu estava com as 2 calças básicas haha

laguna tuyacyo chile

Depois desse espetáculo fomos às Lagunas Miscanti y Miñiques a 4.200m de altitude, também conhecidas por Lagunas Altiplânicas. É difícil não perder o fôlego com esse visual, né? As cores dessas lagunas são absolutamente indescritíveis. Diferente da maior parte das atrações da região, há um banheiro disponível para os turistas e embora não tenha descarga (é baldinho!) é bastante limpo e tem papel higiênico.
Nós voltamos depois das lagunas ao restaurante Cocinería Bartolomé para o almoço e aproveitamos para conhecer o povoado de Socaire. Nosso almoço foi basicamente suco, carne, arroz, batata roxa (nunca tinha comido antes!) e legumes. Achei bem tranquilo, e tínhamos o restaurante todo praticamente só para a gente, além de servir para um “pipi stop”.

Finalmente, no fim do dia fomos à Laguna Chaxa, que também é um Salar e tem a maior concentração de lítio do mundo (embora o Salar de Uyuni seja mais abundante, a concentração de lítio é baixa). Ali vimos alguns flamingos, mas não muitos, foi meio decepcionante, realmente não é nada de especial, mas claro que estando incluído no pacote, por que não visitar né? 😛
Vistamos ainda o povoado de Toconao, que é uma espécie de Oasis no deserto e onde há a única produção de vinho atacameño (mas segundo a nossa guia, não são muitos bons hahah)

Geysers del Tatio

(aproximadamente 4.300m altitude) Esse passeio também foi realizado com a IncaCoya, incluindo o motorista Sebástian e a guia Mariana. O passeio começa por volta das 4h30 da manhã quando te pegam no hotel. É importante destacar que devido à altitude é importante NÃO tomar café da manhã, nós fomos orientados à só comer na hora do café da manhã oferecido no passeio já nos geysers. Sobre a altitude, bem acho que varia de pessoa para pessoa, eu não passei mal nem tive dor de cabeça em momento algum no Chile. Não fiquei mascando folha de coca (provei e achei horrível), a única coisa que fiz foi comer as balinhas de Coca que são vendidas nas lojas de Souvenir da Calle Caracoles por 1 mil pesos chilenos, mas na verdade eu comi porque achei gostoso mesmo já que dizem que quanto à coca em si, são bem fraquinhas haha

geysers atacama chile
O passeio dos Geysers é super interessante, eu pelo menos já sabia que não é um passeio para ver uma paisagem linda, mas diferente. São várias crateras no chão com água que vem do subsolo terrestre e com as atividades vulcânicas entram ‘em erupção’ e emitem um vapor. Á água chega a 85 graus Celsius e por isso é importante manter certa distância e respeitar as “barreiras” de segurança que colocam em volta das crateras. É ali cercado de geysers onde tomamos café da manhã num grupo novamente de 8 pessoas (dessa vez eu de brasileira, os 5 franceses e 2 britânicas).

De lá fomos às termas dos geysers e, como vocês podem imaginar, eu não entrei haha Meu namorado entrou e reclamou muito: eles dizem que a água está quentinha, em torno de 30-35 graus mas na verdade a terma é grande, o que dificulta a retenção de calor, só no canto esquerdo de onde sai a água que é um pouco mais quente. Parece besteira, mas gente faz -9 Celsius do lado de fora, minhas mãos congelavam o tempo todo e eu estava com 2 calças, 1 camiseta, 1 fleece e 1 casaco de Ski de 2 camadas, além de gorro e luva, mais boneco de neve, impossível!

geysers atacama chile

Enquanto estávamos na Terma (o Gui dentro e eu fora tirando foto rs) aconteceu algo muito triste: uma senhora belga foi tirar foto e ultrapassou a barreira de segurança de um geyser… ela caiu, ficou mergulhada até o pescoço na água de 85 graus celsius e para tentar tirá-la com mais facilidade acabaram tirando a roupa dela e saindo pele junto. Ela foi levada com urgência direto à Calama para ser transferida para o hospital de queimados de Santiago e por causa disso os Geysers foram fechados durante 5 dias para investigações. Durante nossa visita a guia Mariana nos alertou inúmeras vezes sobre o perigo de cair numa cratera e ressaltou a importância de se respeitar às barreiras, parece besteira mas quando se é turista a gente sem querer acaba se colocando em situações de risco achando que somos invulneráveis até que não somos né?

Depois desse triste episódio seguimos de volta à San Pedro e fizemos algumas paradas no caminho para tirar fotos das raposas, coelhos (na verdade é um primo do coelho que esqueci o nome rs) e visitamos o povoado de Machuca, onde tem muitas lhamas e espetinho de lhama rs.

Valle de la Luna

(2.400 m de altitude) O Valle de la Luna é uma das principais atrações do Atacama, e é nele onde fica o pôr do sol mais famoso da região: o da Pedra del Coyote. Devido à “baixa” altitude em relação aos outros passeios, recomenda-se fazê-lo no início de viagem por razões de aclimatação, mas acabamos fazendo em outra ordem devido às limitações de nosso roteiro. Antes do pôr do sol, nós visitamos as Três Marias, 3 rochas vulcânicas que têm o perfil de pessoas rezando; a Gran Duna, de onde se tem uma vista incrível do Valle mas é FUNDAMENTAL estar com casaco corta-vento e as cavernas de Sal, onde encontramos cristais salinos que podem ser iluminados por dentro com a lanterna/luz do celular. Esse foi o primeiro passeio que não fizemos com a Inca Coya, fomos alocados à agência Tatais de um hostel com o mesmo nome.

pedra del coyote atacama chile

Pedra del Coyote

Fomos pegos em frente à uma agência por volta das 16h30 e o motorista também era o guia, Juan. A van era mais simples e mal cuidada, estilo Topic, e mais cheia: éramos um grupo de 12 pessoas, a maioria chilenos. O nosso guia era bem legal e conhecia bastante a área, soube nos contar detalhes de geologia e preparar um super coquetel de Pisco sour com biscoitos! Em geral não nos importamos com a van ser ruim (a porta por exemplo tinha problemas para abrir e fechar) ou estar cheia, mas tivemos um serio problema: nós fechamos o pacote que inclui Valle de la Luna e o Valle de la Muerte, e essa excursão da Tatais só fazia o Valle de la Luna; nós apenas passamos pelo Valle de la Muerte, que o Juan explicou que a paisagem é bastante similar ao Valle de la Luna mas no lugar de “sal” nas rochas, com essa aparência mais esbranquiçada, o Valle de la Muerte é mais para o vermelho. Inclusive é por isso que ele leva o nome original de “Vale de Marte”, descoberto por um belga, mas por um erro de tradução, Marte virou Muerte!! Enfim, ficamos chateados mas pelo menos de fato o Valle de la Luna é o mais importante e imperdível, contamos para o Ricardo da Inca Coya o que aconteceu e ele se lamentou muito pelo ocorrido e tentou compensar nos alocando para uma agência top para o Salar de Tara.

Salar de Tara

(aproximadamente 4.400m altitude) Nós fomos alocados pela Inca Coya para a agência IncaNorth, considerada a melhor agência para este passeio. De fato, o passeio foi feito com o Jorge, dono da IncaNorth, que é simplesmente o maior especialista da região no Salar de Tara. Ele é ex-piloto da Força Aérea chilena e conhece o Salar como NINGUÉM! Nós fizemos a excursão numa espécie de ônibus, super confortável, e éramos apenas 5 pessoas… foi incrível!

salar de tara chile

Acho que depois das Piedras Rojas esse foi meu passeio favorito, o Salar de Tara é maravilhoso, desde os Monges de la Pakana à Catedral de Tara (que é um conjunto imenso de rochas) e às lagunas… surreal, e sem dúvidas foi no Salar de Tara onde mais vimos flamingos no Chile!! Imperdível! Vão bem agasalhados porque depois dos Geysers foi o lugar mais frio que estivemos no Chile, serio!

salar de tara atacama no chile

salar de tara atacama chile

Agora nesse passeio, mais do que em qualquer outro, é importante escolher uma boa agência: para vocês terem noção, o Jorge parou 2x no meio do deserto na volta para resgatar outros carros que “atolaram” no caminho. Um era um veículo particular (gente, não aluguem carro e achem que vai ser tranquilo passear no meio do deserto que vocês não conhecem, enorme, sem NADA, com pedras e areia) e outro da Agência Maxim. Ficamos espantados que o motorista da Maxim não sabia sequer trocar um pneu, e nem resolver um problema simples no motor. Enquanto os ajudamos, uma das turistas no grupo da Maxim nos contou que esse era o segundo problema com o carro no dia, e depois o motorista ainda saiu dirigindo disparado como um louco. Nota Zero!

Termas de Puritama

(aproximadamente 3.400m de altitude) Na volta da excursão ao Salar de Uyuni resolvemos fechar nossa viagem com um passeio mais relax, as Termas de Puritama. Elas pertecem ao Hotel Explora (aquele all-inclusive mega caro) e ficam localizadas no meio de um cânion. São 8 termas disponíveis após uma descida de 15-20 minutos e a água é bem quentinha (as termas “de cima” são mais quentinhas mas também mais cheias).

termas atacama chile

É tudo muito limpo e bem cuidado. Esse passeio não é um tour, não há grandes explicações, apenas um transfer. Então não faz muita diferença com quem você faz esse passeio, nós fomos alocados pela Inca Coya para a agência Turismo Kaulles, e foi tudo certo, a van também era simples mas não tivemos problema algum. As Termas são uma delicia e os funcionários muito simpáticos, inclusive deram carona para mim e o Gui na volta (foi ótimo não ter que subir ladeira gente haha). Fechamos com chave de ouro nossa viagem 🙂

termas atacama chile

Enfim, a Inca Coya ofereceu 14% de desconto para o pacote de passeios, e o valor total por pessoa (sem as entradas para os parques) foi: 139.070 pesos chilenos ou aproximadamente R$ 775,00.

Espero que esse post possa ajudar vocês na escolha e organização dos passeios 😉