Nenhum post sobre o local vai conseguir resumir a incrível experiência de estar lá, mas aqui vão algumas dicas úteis para quem pensa em incluir o Inhotim no próximo roteiro.

A alguns quilômetros de Belo Horizonte, em Brumadinho, está o Instituto Inhotim, um centro de artes situado em meio a um fantástico jardim botânico. Seja pela beleza das peças e espécies expostas ou pela estrutura e organização, o maior museu de arte contemporânea a céu aberto da América Latina deixa qualquer um de queixo caído.

galeria true rouge inhotim

Galeria True Rouge

inhotim minas gerais

Como explorar o complexo de Inhotim

O museu estende-se por uma enorme área verde, ao longo da qual as obras de arte ficam expostas em galerias ou ao ar livre. Entrando no complexo, você vai receber um mapa que divide o museu em três setores, o que facilita a visita já que há muita coisa para ser vista. Se você é do tipo que gosta de se planejar com antecedência, há uma cópia do mapa aqui.

inhotim minas gerais

inhotim minas gerais

Elevazione, de Giuseppe Zanone

Para o deslocamento interno no parque é possível optar pelo serviço de transporte oferecido pelo Instituto, que é feito em carrinhos no estilo hop on-hop off. Ou seja, você pode entrar e sair em diversos pontos, seguindo rotas pré-determinadas. Essa opção pode ser uma ótima ideia para quem tem pouco tempo ou para pessoas idosas ou com dificuldades de locomoção – nesse caso, o serviço é oferecido gratuitamente. O valor do transporte é de R$ 25 por pessoa pelo dia de uso. Os motoristas são bem treinados e, eventualmente, dão informações sobre as atrações.

Há também a possibilidade de alugar um carrinho exclusivo, com capacidade para até cinco pessoas, que passará o dia à disposição (R$ 480,00 por dia). Mas atenção: é necessário reservar com antecedência.

Como eu separei dois dias para a visita, acabei não comprando o transporte, mas confesso que no final do segundo dia bateu um arrependimento. #malheiaspernas

O museu oferece ainda três tipos de visitas guiadas e gratuitas. A primeira tem enfoque nas obras de arte. A segunda é direcionada às espécies botânicas e a terceira oferece uma visão geral sobre os dois aspectos. Vale dar uma conferida na recepção do parque a respeito dos horários e as visitas disponíveis.

Escultura da artista Adriana Varejão

Escultura da artista Adriana Varejão

inhotim minas gerais

Narcissus Garden Yayoi Kusama

Quanto custa o Inhotim?

Muitas pessoas fazem a visita em apenas um dia, mas o ideal é reservar, no mínimo, dois. Nesse caso, vale a pena comprar o passaporte, que evita que você enfrente a fila mais de uma vez. Atenção: os passaportes só são vendidos para as visitas feitas entre quinta e sábado e podem ser para dois, três ou quatro dias – o que influencia no valor.

Os preços dos ingressos unitários também mudam de acordo com o dia da semana. O pagamento pode ser feito com cartão ou em dinheiro.

  • Terça, quinta, sexta, sábado, domingo e feriado: R$ 44,00 (inteira)
  • Quarta-feira (exceto feriado): entrada gratuita – visitas escolares devem ser agendadas antecipadamente
  • Fechado às segundas-feiras.

Para verificar o tarifário completo e adquirir os ingressos online, basta acessar o site oficial do Instituto Inhotim aqui 

Dica extra

Uma dica que eu gostaria de ter recebido antes de ir é: leve roupa de banho! Existem duas piscinas – que também são obras de arte, claro! – em que é possível entrar e dar uma refrescada nos dias mais quentes. Uma delas é obra do Jorge Macchi e fica ao ar livre. A outra está localizada dentro da galeria Cosmococa.

tamboril inhotim minas gerais

Arvore Tamboril

inhotim minas gerais

Troca-troca, de Jarbas Lopes

Onde se hospedar e comer em Inhotim?

Embora o Inhotim fique situado em Brumadinho, a cidade me pareceu carente de estrutura turística (hotéis, restaurantes etc). Por esse motivo, eu escolhi ficar em Casa Branca, uma cidadezinha, município de Brumadinho, que fica a uns 40 minutos de carro do museu. Achei que foi uma ótima escolha, pois a cidade oferece inúmeras opções de pousadas e restaurantes.

Para quem vem de BH, o caminho para Casa Branca passa pela Serra do Rola Moça. No topo da serra, há um mirante que vale a parada.

Logo que cheguei, visitei o Bar e Restaurante Abóbora, onde é possível experimentar as caipirinhas mais famosas da região, feitas pelo simpático dono do bar, além de diversos pratos mineiros típicos e os imperdíveis bolinhos de abóbora com carne seca.

Restaurante Abóbora
Endereço: Rua F, 104, Recanto do Vale, Casa Branca.

Durante os dias de visitação do parque, a opção mais prática é comer em um dos restaurantes do próprio complexo: o Restaurante Tamboril (buffet livre) ou o Restaurante Oiticica (buffet a quilo). Uma dica importante: durante feriados, ambos lotam e conseguir uma mesa pode ser uma tarefa demorada. Nesse caso, para fugir das filas, procure almoçar bem cedo, de preferência assim que o restaurante abrir, por volta de meio dia.

Horário dos restaurantes do Parque: 

  • Terça a sexta-feira: 12h às 16h
  • Sábado, domingo e feriado: 12h às 17h

Por fim, fica o recado: visite o Inhotim! Mesmo que você não seja um apaixonado por botânica ou não entenda muito sobre arte (ou ambos), a experiência de estar lá é absolutamente indescritível!

Anota aí:

  • Site: http://www.inhotim.org.br/
  • Instagram: @inhotim
  • Horário de abertura:
    Terça à sexta-feira: das 9h30 às 16h30
    Sábados, domingos e feriados: das 9h30 às 17h30
    Fechado às segundas e nos dias 24, 25 e 31 de dezembro e 1 de janeiro

Encontre AQUI hotéis em Promoção na região de Inhotim 


Booking.com

Leia mais:

Conheça o Parque Estadual do Rio Doce em Minas Gerais

De bicicleta pelas trilhas e cachoeiras da Serra do Cipó em Minas Gerais

Como explorar o Lago de Furnas e região

Os encantos de Conceição de Ibitipoca

Gonçalves MG: Roteiro completo para um fim de semana