O Parque Providencial do Aconcágua abriga não só o ponto mais alto da Cordilheira dos Andes, mas também lindos passeios e trilhas, pra quem busca aventuras e belas paisagens

Aconcagua é o que significa, em quechua – linguagem indígena – Sentinela da Pedra. A montanha mais alta da América e da Cordilheira dos Andes, com 6.962 metros de altitude, é um local que desperta o interesse dos visitantes mais aventureiros.

Aconcágua em cenário sem neve. Foto: Nicolas Perez via Unsplash
Aconcágua, a montanha mais alta fora da Ásia – Foto: Nicolas Perez via Unsplash

Quando visitar o Monte Aconcagua?

O passeio pode ser feito em todos os anos, em qualquer estação. Porém,  é importante sempre redobrar o cuidado no inverno, já que muitas vezes, por conta da nevasca e das avalanches, eles acabam fechando o local.

Durante os meses de junho e setembro, é possível fazer algumas paradas nas estações de ski e passar um tempo por ali.

Aconcagua coberta de neve. Foto: Nicolas Prieto on Unsplash
Aconcágua coberta de neve. Foto: Nicolas Prieto on Unsplash

Onde está localizado o Pico do Aconcágua ?

O Parque Provincial Aconcagua fica a 180 km do centro de Mendoza, na Argentina, e recebe alpinistas de todo o mundo.

Saindo de Mendoza, a viagem começa pelo Vale do Uca, uma região que conta com diversas vinícolas. 

Como chegar no Parque do Aconcagua ?

Optamos por fazer esse passeio em apenas um dia. Alugamos um carro e saímos bem cedo de Mendoza. Retornamos no final da tarde sem grandes complicações.

Aos visitantes que não alugarem um carro, existem inúmeras empresas especializadas que oferecem esse roteiro de um dia.

A entrada do Parque Provincial Aconcágua fica na estrada RN7. Para quem vai de ônibus, a viagem costuma durar cerca de 4 horas e os transportes costumam sair do Terminal del Sol, em Mendoza.

Ainda não sabe aonde alugar seu carro? Clique Aqui e faça seu orçamento e alugue seu carro com a Rent Cars, pagamento em reais em até 12 vezes e sem IOF.

Dicas Importantes ANTES de ir para o Aconcagua

Vamos te ajudar com algumas dicas ou dúvidas que podem aparecer durante o seu planejamento. Vale a pena anotar tudinho, com a animação do planejamento, talvez você até se esqueça desses detalhes.  

 

1 – Precisa de visto para viajar para a Argentina?

Para cidadãos brasileiros não é necessário de visto, para estadias de turismo na Argentina até 90 dias.

2 – Quais os documentos são necessários para visitar a Argentina?

Para os brasileiros além do passaporte válido, é possível entrar na Argentina apenas com RG. Mas fiquei atento, desde que esteja em bom estado e com a foto atualizada e de preferência com menos de 10 anos de emissão. 

Anota ai! Não são aceitos outros documento, como CNH (Carteira de Motorista), Certidão de Nascimento, carteira da OAB, CREA etc.  

3 – Precisa de Seguro Viagem para a Argentina? 

Não é obrigatório, mas nós SEMPRE recomendamos sempre fazer um seguro viagem antes de embarcar, principalmente numa viagem como essa.

No Aconcagua os riscos pode ser grandes.  Por conta das mudanças climáticas muitas vezes é preciso de um atendimento médico. Imagina se machucar durante uma trilha? Você não vai querer voltar com uma conta enorme das despesas médicas, além dos contratempos!

Não vale a pena se arriscar! O seguro viagem é baratinho e te livra de problemas maiores que podem acontecer durante as férias.

Todas as dicas você encontra no nosso post Seguro Viagem Internacional: Confira o passo-a-passo de como contratar

Encontre os melhores preços de seguro viagem no Seguros Promo. Nós usamos nas nossas viagem e recomendamos!

Seguro Viagem: América do Sul
TA 40 Especial - Internacional TA 40 Especial - Internacional Assistência médica USD 40.000 Bagagem extraviada USD 1.200 R$ 10/dia*
AC 35 INTER + TELEMEDICINA AC 35 INTER + TELEMEDICINA Assistência médica USD 35.000 Bagagem extraviada USD 1.200 (COMPLEMENTAR) R$ 12/dia*
AT 40 INTER AT 40 INTER Assistência médica USD 40.000 Bagagem extraviada USD 1.500 (COMPLEMENTAR) R$ 27/dia*

Aconcagua O Que Fazer 

Agora vamos a parte mais legal e descobrir tudo o que conhecer no Aconcágua.

Represa Potrerillos

A primeira atração fica apenas 60 km do centro de Mendoza, a Represa Potrerillos, construída em 1999. Além de gerar energia elétrica, ela também é responsável por abastecer a cidade e irrigar as vinícolas da região. A paisagem do lago com águas azuis é um ótimo local para fotos.

Porém, vale ficar sabendo que os passeios guiados normalmente não costumam fazer paradas para observação.

Por ali, já é possível ver um dos mais de 60 tipos de aves da região. As espécies mais típicas que podem ser vistas são o condor e a águia chilena.

A represa Potrerillos. - Foto: Uliaparicio via Wikimedia
A represa Potrerillos. – Foto: Uliaparicio via Wikimedia

Cruz de Paramillos

Chegando a aproximadamente 3 mil metros de altitude já é possível ver primeira vista do pico mais alto da América do Sul, o Aconcágua, em um local chamado de Cruz de Paramillos.

Vale uma parada para algumas fotos da montanha.

A Cruz de Paramillos e Aconcágua ao fundo. Foto: Leandro Kibisz via Wikimedia
A Cruz de Paramillos e Aconcágua ao fundo – Foto: Leandro Kibisz via Wikimedia

Vale de Uspallata

Após Cruz de Paramillo, seguimos em direção ao vale de Uspallata, com uma atitude de aproximadamente 1.800 metros.

A beleza do local é singular e já foi set de filmagens para o renomado filme Sete Anos no Tibet, estrelado pelo ator Brad Pitt, de 1997.

 

Puente del Inca

No caminho, a Puente del Inca é um dos locais mais conhecidos da trajetória. A atração fica localizadas a 183 km de Mendoza, quase na fronteira com o Chile.

A lenda quechua diz que o herdeiro do trono do Império Inca estava doente e, sem esperanças, foi levado para o local para ser curado pelas águas termais.

A travessia duraria meses e os homens então se abraçaram para formar uma ponte humana permitindo a passagem do pai e filho. Quando viraram para agradecer, os homens acabaram sendo petrificados, dando origem à ponte de pedra.

Vista da Puente del Inca. Foto de magicaltravelling via Pixabay
A Puente del Inca – Foto: magicaltravelling via Pixabay

Atualmente, só é possível observar a área de longe. Ela é formada por uma ponte natural sobre o rio Las Cuevas e já chegou a abrigar um famoso hotel com banhos termais.

Quando visitamos o local, em outubro, a neve nos surpreendeu com imagens belíssimas. A  2.700 metros de altitude, os sais minerais da região são os responsáveis pelas cores alaranjadas das rochas.

Las Cuevas

Las Cuevas é o último vilarejo no território argentino. A atração principal é a estátua do Cristo Redentor de Los Andes, que fica a 4.200 metros de altitude, considerado o ponto mais alto para quem vai fazer o passeio de um dia. É um símbolo da divisão entre Argentina e Chile e uma espécie de união entre os dois países.

O caminho até o Cristo é um pouco difícil e só é possível fazer de carro. No inverno, dependendo da neve, eles acabam fechando as estradas.

A imagem do Cristo Redentor de los Andes com montanhas ao fundo. Foto de KIAIMAR13 via Wikimedia.
O Cristo Redentor de los Andes – Foto de KIAIMAR13 via Wikimedia

Estações de Esqui na Região

As estações de skis estavam fechadas quando fomos conhecer, mas diversos visitantes acabaram brincando nas montanhas e escorregando mesmo sem equipamento.

É uma ótima atração para as crianças se divertirem. Como a neve estava fofa, também foi possível brincar e fazer bonecos de neve – bem estilo filme americano!

Parque Providencial do Aconcagua

Com 71 mil hectares, o Parque Providencial do Aconcágua fica a 180 Km do centro de Mendoza e recebe alpinistas de todo o mundo. Existem as opções de trilhas mais leves e curtas para poder explorar as paisagens naturais. A trilha mais simples é chamada de Laguna Horcones, com apenas 2 Km de extensão.

Vale lembrar que só é possível fazer este caminho no verão, já que as estradas são fechadas no inverno. Por conta da quantidade de neve, não conseguimos realizar o passeio.

O parque possui um site com diversas dicas onde é possível tirar toda as dúvidas antes de conhecer. Nele, também está disponível uma tabela com os preços para a entrada. Crianças precisam de uma autorização para entrar, então é importante tirar toda as dúvidas antes de ingressar.

Acesso o site oficial do Parque Providencial do Aconcagua clicando aqui. 

A Laguna Horcones. Foto de Fernando de Gorocica via Wikimedia.
A Laguna Horcones – Foto: Fernando de Gorocica via Wikimedia

Trekking em Aconcagua

Para os mais aventureiros, a minha dica é procurar por empresas especializadas para fazer o passeio de trekking no Aconcágua. Por conta do tempo, não conseguimos fazer o tour, pois estava fechado.

Porém, existem dois tipos de trekking: o curto, que dura 3 dias, e o longo, de 7 dias, que vai até o cume.

Para ambos os passeios, é preciso ter uma permissão do parque e pagar uma taxa que costuma variar dependendo da temporada. Para mais informações, é só acessar o site Parque Providencial Aconcagua antes de organizar sua viagem.

Acampamento em Aconcágua. Foto: Freesolo via Pixabay.
Um acampamento em Aconcágua – Foto: Freesolo via Pixabay

Como atingir o cume do Aconcagua 

Para atingir o cume, a face sul é, sem dúvidas, a mais difícil. A parede sul foi escalada pela primeira por brasileiros em janeiro de 1953. Existem duas rotas dentro do parque: pelo Rio Horcones e pelo Rio Vacas.

Saindo de Puente del Inca, sentido Horcones, depois de 3 ou 4 horas de caminhada, a trilha acaba se dividindo entre o acampamento de Plaza de Mulas (4.300 metros de altitude) ou o acampamento Plaza Francia (4.200 metros de altitude), e base da Parede Sul.

Para escalar o Aconcágua na face sul, é preciso saber um pouco sobre escalada em rochas e parede de gelo com inclinações de até 70 graus. É considerada uma das escaladas mais perigosas do mundo.

Parede sul do Acongágua. Foto: Marcelo Drago via Pixabay.
Parede sul do Acongágua. Foto: Marcelo Drago via Pixabay.

A caminhada pela Plaza de Mulas, a mais procurada, é o campo base para alcançar o cume. Geralmente, as empresas especializadas acabam levando os equipamentos através de mulas, o que acaba deixando os alpinistas mais confortáveis e leves.

Saindo do acampamento de Confluência, o percurso até Mulas dura quase 9 horas em 19 km de trilha. No local, não existe banheiro público.

Para os aventureiros que não optarem por empresas, é preciso contratar uma para usar o banheiro e também para montar a barraca.

O preço costumar ser bem acessível, no valor de cerca de 5 dólares o dia. Perto dali, existe um hotel abandonado e uma lagoa com a água transparente.

Dicas para se preparar para a caminhada

Nos Andes, é bem comum a pressão baixar durante o fim da tarde por conta das tormentas. Por isso, o ideal é sempre acordar cedo e fazer a caminhada na parte da manhã.

A minha dica é alugar os equipamentos quando estiver em Mendoza. Muitas vezes, acabamos não encontrando equipamentos no Brasil – como sacos para dormir, por exemplo – tão bons para o clima local. Existem muitos locais que alugam por um preço bem bacana e mais em conta.

O legal das lojas é que você pode encontrar uma botija de gás para o fogareiro e deixar o passeio mais confortável. É um item que não é autorizado despachar no avião. Vale sempre negociar e pechinchar por promoções.

Vale lembrar que mais ou menos 40% das pessoas que tentam acabam não chegando ao cume do Aconcagua por conta da altitude, variações do tempo e também ventos fortes. Escalar o Aconcagua não é para qualquer um. Por conta disso, é preciso fazer um preparo físico antes de se aventurar e fazer uma checagem extra na saúde.

Onde Ficar Quando for para o Aconcágua

Viajando para Aconcágua ficamos hospedados na cidade de Mendoza Argentina.

A cidade é muito conhecida pelas mais de 130 vinícolas da região que são abertas à visitação. Para quem pretende conhecer, saindo de Buenos Aires, a província fica a 14 horas de carro ou a 2 horas de voo.

Para os amantes de vinho, Mendoza é o local ideal. Porém, é preciso agendar as visitas, já que muitas possuem horários limitados e são muito disputadas entre os turistas. Algumas vinícolas contam com um almoço e a experiência acaba sendo muito agradável, já que muitos chefs renomados assinam os cardápios.

Leia mais no nosso post Mendoza Argentina: As 20 dicas indispensáveis para planejar sua viagem

A Vinícola da Chandon em Luján de Cuyo – Foto: Site Oficial Chandon
A Vinícola da Chandon em Mendoza Argentina – Foto: Site Oficial Chandon

A gastronomia da cidade é incrível e ela conta com diversos restaurantes famosos. Vale pesquisar e organizar bem a viagem para poder aproveitar Aconcágua e também a cidade de Mendoza.

A cidade possui diversos locais para quem procura Hoteis em Mendoza.

Para quem busca economizar, a cidade oferece diversas opções de hostels agradáveis para os mais diferentes públicos. Para quem busca descansar, Mendoza também conta com luxuosos hotéis e também locais mais afastados, onde os turistas podem se hospedar em vinícolas, por exemplo.

Nós optamos por alugar um apartamento no centro da cidade, o que acabou custando muito menos no final da viagem.

Veja as opções de hospedagem e nossas dicas no post Hotéis em Mendoza que Adoramos e Indicamos – do Econômico ao Luxo. 

Encontre mais ótimas hospedagens em Mendoza com os melhores preços no Booking.

Booking.com

O que você PRECISA saber ANTES de ir a Argentina

Você está cheio de coisas para pensar e ainda tem que planejar a viagem inteira? Ou você já viu tudo, mas está com aquela conhecida sensação “Será que esqueci alguma coisa?” Então calma, nós te ajudamos com 4 itens que você não pode esquecer antes de embarcar.

Vamos lá?

1) Seguro Viagem 

Onde Comprar: SEGUROS PROMO

Já pensou ter que pagar despesas médicas ou precisar desembolsar fortunas por contratempos na viagem? Nós já soubemos de diversos casos de pessoas que passaram por isso.

O Seguro Viagem é baratinho e um investimento necessário para te livrar de problemas maiores que podem acontecer durante as férias.

Para encontrar um bom seguro viagem, compare preços e coberturas no Seguros Promo.

#FicaADica: Economize 10% em seu seguro viagem.  Use o cupom DICASDEVIAGEM5 para ganhar 5% de desconto e pague no boleto para garantir 5% OFF adicional.

Seguro Viagem: América do Sul
TA 40 Especial - Internacional TA 40 Especial - Internacional Assistência médica USD 40.000 Bagagem extraviada USD 1.200 R$ 10/dia*
AC 35 INTER + TELEMEDICINA AC 35 INTER + TELEMEDICINA Assistência médica USD 35.000 Bagagem extraviada USD 1.200 (COMPLEMENTAR) R$ 12/dia*
AT 40 INTER AT 40 INTER Assistência médica USD 40.000 Bagagem extraviada USD 1.500 (COMPLEMENTAR) R$ 27/dia*

2) Já marcou sua hospedagem?

Onde Comprar: BOOKING.COM

Se você ainda não marcou sua hospedagem, a dica é comparar hotéis, hostels e pousadas através do Booking.com. Essa é a maior plataforma de reservas de hotéis do mundo, garantindo uma experiência segura e ótimas ofertas em acomodações.

#FicaADica: Fique de olho nas ‘Ofertas Espertas’, que duram apenas um dia. Alguns hotéis incríveis oferecem ótimos desconto usando este selo na plataforma. Se encontrar um bom negócio, vale fechar :).

Booking.com

3) Como ter internet ilimitada durante a viagem

Onde Comprar: EASYSIM4U

Você sabia que está cada vez mais fácil – e barato – ter internet ilimitada durante toda a viagem?

É só pedir um chip de celular internacional através da EASYSIM4U. Nós sempre usamos e adoramos! Eles enviam um chip em seu endereço no Brasil, você insere no seu celular quando chega no destino e tem internet ilimitada durante toda a viagem.

#FicaADica: Economize com o aluguel de GPS no carro e use o GoogleMaps e Waze com sua internet ilimitada ;).

4) Alugue carros com os melhores preços

Onde Comprar: RENT CARS

Gostamos muito da Rent Cars para encontrar os carros que usamos em nossas viagens. Ela é a única no Brasil que compara as melhores locadoras do mundo, mas te deixa pagar em reais, sem IOF. Além disso, também é a única que deixa você pagar em 12 vezes sem juros. Vale a pena!

#FicaADica: Tente encontrar carros com a cobertura completa de seguro para o carro e terceiros. Assim, você evita surpresas inoportunas na hora de retirar o carro.

5) Garanta ingressos com antecedência para as atrações no Aconcágua

Onde Comprar: GetYourGuide

Ufa! E no último item da nossa lista para você não esquecer nadinha na sua viagem estão os ingressos!

Comprar ingressos com antecedência é uma das dicas mais fundamentais para os viajantes. Além de garantir sua vaga em atrações concorridas, você consegue bons preços e… evita filas!

Ninguém merece perder horas da viagem em filas ou perder uma atração porque ela lotou, não é?

#FicaADica:  Faça o seu planejamento e antes de comprar, veja os museus que oferecem dias com entrada grátis. Compre os ingressos das  atrações concorridas e dos que não oferecem gratuidade.

Obs:  Prezamos muito pela credibilidade de nossas informações. Todos os sites que recomendamos acima são sites que já usamos, temos boas experiências e feedbacks de leitores!

Além disso, vale a pena conferir outras informações úteis para sua viagem para a XXXX

E você? Gostou das nossas dicas do Aconcágua? Deixe seu comentário aqui! 

Leia Mais

Mendoza Argentina: As 20 dicas indispensáveis para planejar sua viagem

Hotéis em Mendoza que adoramos e indicamos: do econômico ao luxo

Uma parada no coração dos Andes

O que fazer em Buenos Aires: Dicas para quem vai ficar de 2 a 5 dias

Pontos Turísticos Buenos Aires – As 25 atrações imperdíveis da capital

Onde Ficar em Buenos Aires: As Melhores Opções do Econômico ao Luxo

O que fazer em Bariloche na Argentina: atrações no Inverno e no Verão

O que fazer em Ushuaia: as 9 atrações imperdíveis da região

Quando ir para Ushuaia na Patagônia Argentina

Onde ficar em Ushuaia: 10 melhores opções para cada tipo de viajante