Conhecer Machu Picchu é o sonho de muitas pessoas. Você está planejando sua viagem para lá e quer saber como chegar ao Santuário Histórico? Neste post te contamos todas as formas de acesso. Confira!

O Santuário Histórico de Machu Picchu é uma das sete maravilhas do mundo moderno e fica em uma montanha dos andes peruanos. Por conta da localização remota, as ruínas só foram descobertas no início do século XX, e o acesso até lá não é tão simples. Pensando nisso, preparamos um guia completo de como chegar em Machu Picchu para te ajudar.

A descoberta da Cidade Perdida dos Incas só foi documentada oficialmente em 1911, pelo explorador Hiram Bingham, embora existam registros de outros que acessaram a área antes. A partir de então, o fascínio pelas construções antigas começou a atrair cada vez mais pessoas interessadas em conhecer o local.

Hoje já existem meios de transporte para ajudar os viajantes que querem ir até lá, como trens que fazem o caminho de Cusco a Machu Picchu Pueblo. Mas também existem alternativas para fazer o trajeto, como as trilhas que levam alguns dias até chegar nas montanhas.

Preparamos um guia completo com todas as formas de como chegar em Machu Picchu. Você prefere ir no conforto de um trem ou se arriscar em uma trilha pelas montanhas? Continue lendo para descobrir qual a melhor alternativa para sua viagem.

Onde fica Machu Picchu

Foto de Machu Picchu com um homem em pé, de costas para a câmera, olhando para a paisagem. É uma imagem para representar como chegar em Machu Picchu
Machu Picchu é a viagem dos sonhos de muitos – Foto: Flávio Antunes

Machu Picchu fica no topo de uma montanha da Cordilheira dos Andes do Peru, a uma distância de 75 km de Cusco. Apesar de a distância não ser muito grande, o caminho é demorado porque existem muitas curvas entre as montanhas.

A região onde está localizado é conhecida como Vale Sagrado dos Incas ou Vale do Rio Urubamba, onde estão outras cidades menores como Ollantaytambo e Urubamba. Estas são pontos de partida até Machupicchu Pueblo (também conhecido como Aguas Calientes), vilarejo onde está localizada a montanha sagrada.

O Santuário Histórico fica a 2.400 km de altitude, entre duas montanhas ainda mais altas, chamadas Machu Picchu (homônima) e Huayna Picchu. O rio Urubamba corre em volta da cidade, que é formada por antigas construções pré-colombianas. Acredita-se que era um local de repouso durante o Império Inca, mas a função exata até hoje é um mistério.

Como ir para Machu Picchu

O caminho todo para ir a Machu Picchu pode ser resumido em etapas: Brasil > Lima > Cusco > Machupicchu Pueblo (ou Aguas Calientes) > Santuário Histórico de Machu Picchu.

A primeira parte do trajeto é de avião, partindo do Brasil até o Peru, onde você vai desembarcar em Lima, pois não existem voos diretos para Cusco. Uma vez em Lima, a próxima etapa é chegar para Cusco. Para isso você pode ir de avião ou por transportes terrestres. O voo dura cerca de uma hora e é a opção mais fácil.

(Dica: recomendamos que pesquise os melhores preços de voo na plataforma Vai de Promo para encontrar boas ofertas.) 🙂

Já em Cusco, a próxima fase da viagem é ir até Aguas Calientes – ou Machupicchu Pueblo, vilarejo onde está o sítio arqueológico. Existem muitas opções para fazer esse caminho, incluindo as viagens de trem e as trilhas, as quais você confere mais detalhes mais pra frente no texto.

Por fim, quando chegar a Machupicchu Pueblo você estará a pouco mais de 8 km de distância do Santuário Histórico. Dali você pode seguir tanto de ônibus, quanto a pé.

Depois você finalmente vai ter atingido seu tão sonhado destino: a famosa Cidadela Inca estará bem na sua frente. Ufa!

Como ir do Brasil para Lima

Lima, a capital peruana, é o ponto de partida de muitos que vão ao Peru. E, como foi dito, não há voos diretos para Cusco. Assim, ainda que seja comum muitos viajantes chegarem ao país por lá, a capital fica bastante distante de Machu Picchu – mais de 500 km entre os dois destinos.

Boas promoções de voo para o Peru sempre estão acontecendo. Por isso vale a pena checar o Vai de Promo para aproveitar as ofertas – muitas vezes direto para Lima. Aliás, se você vai descer lá, que tal aproveitar para fazer um passeio dois em um, conhecendo a capital e a Cidadela Inca na mesma viagem?

Inclua no seu roteiro diversas opções de o que fazer em Lima. A cidade é super versátil e rica em cultura e gastronomia, com restaurantes que figuram entre os melhores do mundo. E então, depois de conhecer as principais atrações limenhas, será hora de partir para Cusco.

Como ir de Lima para Machu Picchu

Vista aérea da capital do Peru, Lima, primeiro local onde se passa para chegar em Machu Picchu
Vista aérea da capital do Peru, Lima, onde chegam os voos ao país

As formas de acesso de Lima até Cusco são de avião, ônibus ou carro. O voo interno leva cerca de uma hora no trajeto. De ônibus, a viagem chega a durar mais de 20 horas, já que é preciso dar uma grande volta em torno das montanhas andinas.

Nós não recomendamos alugar carro no Peru por conta do trânsito caótico e das estradas, que não são simples de percorrer. A opção pelo voo interno entre as cidades é a mais prática, com preços que valem a pena. Mas, se tiver tempo e sua intenção for conhecer outros locais pelo caminho, aposte no ônibus.

Como ir de Cusco para Machu Picchu

Vista frontal da igreja companhia de Jesus na praça de las armas, em Cusco no Peru para representar como chegar em Machu Picchu a partir de Cusco
Igreja de La Compañía de Jesús, na Praça de Armas em Cusco

Ao chegar em Cusco existem duas formas de ir para Machupicchu Pueblo: de trem ou pela trilha (a pé ou de bicicleta). O acesso ao vilarejo é super restrito e não conta com estradas para carros ou ônibus passarem, somente o acesso por trem ou a pé.

A viagem de trem dura cerca de quatro horas partindo de Cusco, onde há duas empresas que fazem o percurso na região: a Inca Rail e a Peru Rail. Você pode subir nas estações de Wanchaq, Poroy ou San Pedro em Cusco, ou pegar o trem nas cidades do Valle Sagrado, como Ollantaytambo e Urubamba, e diminuir o tempo de percurso em cerca de duas horas.

Outra alternativa para os mais aventureiros irem até o Santuário Histórico são as trilhas. As rotas Inca Clássica e a Salkantay são as mais conhecidas entre o turismo de aventura, porém, existem outros caminhos, como a trilha Choquequirao, por exemplo. E, além do trajeto a pé, você pode optar fazer a trilha de bicicleta também. 😉

E, claro, há também outras opções de atrações e atividades que merecem entrar na sua lista de o que fazer em Cusco antes ou depois de começar sua descida até Machu Picchu.

Excursão de Cusco para Machu Picchu

Há, também, opções de excursão a Machu Picchu com ingressos. Reservando este passeio você garante uma vaga num dos trens panorâmicos, dos quais é possível observar a paisagem durante o trajeto.

Já se a ideia for fazer o passeio com calma, aproveitando cada mínimo detalhe do caminho, a excursão de dois dias por Machu Picchu, é a melhor dica – dá para conhecer tudo com calma, sentindo toda energia da região e sem pressa. 😉

Como chegar em Machu Picchu

Vista de caminhos e ruínas ao fundo que se tem ao chegar em Machu Picchu pela trilha inca
A Trilha Inca chega à cidadela pela Porta do Sol (Intipunko), e essa é a vista da chegada – Foto: Eduardo Zárate via Flickr

Como falamos existem duas formas principais de chegar em Machu Picchu: de trem ou pelas trilhas. O acesso final ao Santuário Histórico de Machu Picchu pode ser feito de ônibus, que parte de Machupicchu Pueblo (Aguas Calientes), ou caminhando.

A maneira mais confortável e comum é ir de trem para Machu Picchu. Já os mais aventureiros vão gostar de subir as montanhas por trilha. Os caminhos mais conhecidos são a Trilha Inca e a Trilha Salkantay.

Trem para Machu Picchu

Ir para Machu Picchu de trem é o jeito mais confortável e rápido

Ir de trem para Machu Picchu é o jeito mais confortável e rápido de chegar ao tão sonhado destino. São duas empresas de trens que opera na região, a Inca Rail e a Peru Rail.

Existem diversas categorias de trens, desde as mais simples às super exclusivas com serviço de luxo. Mas, mesmo os vagões mais populares têm preços elevados, por isso é importante planejar bastante os gastos antes de ir.

O jeito de conseguir passagens mais baratas é pegar o trem na estação de Ollantaytambo, no Vale Sagrado dos Incas. Os valores de ambas empresas ferroviárias variam em torno de 50 a 60 dólares por ingresso.

Um ponto importante dos trens é que os lugares são limitados e podem esgotar, então comprar com antecedência é fundamental – cerca de dois meses antes da viagem é o ideal. Além disso, planejando tudo bem cedo, você consegue se atentar para possíveis promoções no preço das passagens.

Inca Rail

Uma das formas como chegar em Machu Picchu é ir de trem. Na foto, Flávio Antunes curte a paisagem da viagem na First Class da Inca Rail
Flávio Antunes na First Class da Inca Rail

A Inca Rail é uma das empresas que opera trens para Machupicchu Pueblo. Nós viajamos com ela em Agosto de 2019 e recomendamos muito o serviço. É uma boa opção para ir com conforto e rapidez até o vilarejo. Possui veículos mais novos e está em operação desde 2009.

Para quem não quer se aventurar fazendo trilha, o trem da Inca Rail é o mais indicado. É uma forma de viajar tranquilo e sem se desgastar, poupando a energia para explorar as ruínas incas.

A empresa oferece viagens em cinco categorias: The Voyager, The 360º, The First Class, The Private e o The Premium & Lounge.

O The Voyager é o mais simples. O 360º é uma experiência divertida, com vagões abertos para observar a paisagem. A First Class tem um serviço mais sofisticado, o Private é exclusivo para quem solicitar viajar nesta modalidade – super chique. E o Premium and Lounge é uma modalidade mais sofisticada, com serviços únicos e entrada antecipada.

Peru Rail

nátalie guimarães sentada no banco estofado do vagão vistadome da perurail com várias janelas panorâmicas que dão visão a natureza ao redor
Vagão Vistadome Observatory da PeruRail – Foto: Nátalie Guimarães

Existe uma outra empresa operante de vagões que vão até Machupicchu Pueblo – a PeruRail. Ela é mais antiga, desde 1999, e oferece quatro modalidades de vagões. O Expedition, mais econômico, o Vistadome, com janelas maiores, o Vistadome Observatory, mais luxuoso, e o Belmond Hiram Bingham, super exclusivo e parceiro do hotel que lhe dá o nome.

Nós também viajamos com esta empresa, em dezembro de 2023, e recomendamos o serviço. Dentre as duas empresas, ela é a única que tem trens saindo direto de Cusco durante a alta temporada, e ainda conta com estações em Ollantaytambo e Urubamba, ambas no Vale Sagrado dos Incas.

Os preços são competitivos, bastante parecidos com os da outra empresa. A oferta de horários para escolher, no entanto, é maior.

Ônibus para Machu Picchu

Fila para o trem em Machu Picchu Pueblo com várias pessoas em pé na calçada a esquerda da imagem - Foto: Flávio Antunes
Fila para o trem em Machu Picchu Pueblo – Foto: Flávio Antunes
Foto de ônibus verde que faz o trajeto de como chegar em Machu Picchu
Os ônibus que sobem para as ruínas – Foto: KK70088 via Flickr

A etapa final para chegar em Machu Picchu é feita de ônibus partindo do vilarejo de Machupicchu Pueblo (ou Aguas Calientes). O horário de funcionamento é das 5h30 às 15h30 para subir até a Cidadela Inca, e das 6h30 às 18h para descer até o vilarejo.

O bilhete de ônibus pode ser comprado no centrinho do vilarejo, com a empresa chamada Consettur, ou online com a Civitatis. Os ônibus saem a cada 10 minutos e custam 24 dólares por pessoa, ida e volta.

Depois de comprado o bilhete, dirija-se à fila e espere sua vez para embarcar. Vale lembrar que a passagem do ônibus para a cidadela não garante os ingressos para Machu Picchu, que são vendidos separadamente e devem ser comprados com dois meses de antecedência.

Garanta seu ingresso de ida e volta com antecedência pela Civitatis.

Trilhas para Machu Picchu

Foto de vista das montanhas andinas em parte da Trilha Inca Clássica
Trecho da Trilha Inca Clássica – Foto karlnorling via Flickr

Se você é do time dos aventureiros, vai adorar explorar a Cordilheira dos Andes no Peru em uma trilha para Machu Picchu. Nós recomendamos fechar o passeio com alguma agência, pois são cerca de quatro ou cinco dias de caminhada em uma região remota, não seria prudente fazer tudo sozinho.

Os tours não são baratos, mas as agências organizam de uma forma que vale a pena para o viajante, que praticamente só tem o dever de aproveitar o passeio e curtir a vista do caminho. Os pacotes de trilha costumam incluir os alimentos, um cozinheiro, animais que carregam cargas, barracas, acampamentos e guia. Alguns serviços estão inclusos no pacote, e outros são pagos à parte. 

Existem diversas trilhas para escolher, entre modalidades diferentes. Você pode optar por andar a pé ou de bicicleta, e escolher caminhos variados, como passar por Choquequirao ou perto do pico Salkantay.

As opções mais famosas para chegar à Cidade Perdida são a Trilha Inca Clássica e a Trilha Salkantay. Se você está em dúvida sobre qual trajeto escolher, continue lendo para fazer sua escolha.

Trilha Inca Clássica

Foto de espaço onde acampamentos foram montados durante a Trilha Inca, uma das formas como chegar em Machu Picchu
Acampamentos na Trilha Inca para Machu Picchu – Foto: Aled via Flickr

A Trilha Inca Clássica é o percurso de trilha mais famoso da América do Sul. O caminho percorrido é o mesmo feito pelos povos antigos que desbravaram a região e chegaram até onde foi construído o Santuário Histórico.

É uma das trilhas mais importantes do mundo, devido a sua grande relevância histórica e beleza natural do caminho. Por todos esses motivos, é um dos meios mais concorridos de como chegar em Machu Picchu. Para conseguir uma vaga nessa trilha, você vai ter que reservar com meses de antecedência.

O caminho começa ao lado do Rio Urubamba, passando por diversos vales com paisagens andinas cheias de alpacas. Já no segundo dia é avistada a montanha Abra Warmihuañuska, por onde vive o famoso urso andino, ou urso de óculos.

No terceiro dia, vários sítios arqueológicos são visitados, como o que se localiza na montanha Abra Runcurakay, o complexo de Sayacmarca, e o Abra Phuyupamarca, um dos mais completos e conservados do percurso.

O quarto e último dia de trilha é reservado para a chegada e passeio na Cidade Perdida dos Incas. Para quem sonha em conhecer a cidadela, a chegada depois de longos dias caminhando deve ser ainda mais emocionante. Você encararia essa aventura?

Confira como conseguir tudo o que precisa para fazer a Trilha Inca até Machu Picchu.

Trilha Salkantay

Um outro trajeto famoso de como chegar em Machu Picchu, a trilha Salkantay é considerada uma das mais bonitas do Peru, cheia de paisagens estonteantes. Ela não é tão procurada quanto a trilha Inca, e por isso é possível reservá-la com poucos dias de antecedência.

No entanto, recomendamos que você marque sua trilha com uma agência de turismo o quanto antes puder, para poder se preparar tanto fisicamente quanto psicologicamente para os quatro dias de caminhada nas montanhas.

A trilha se inicia na cidade de Challacancha, próxima de Cusco. A partir dali, quem opta por esse caminho inicia uma jornada rumo aos pés do pico Salkantay. A área onde os viajantes atingem fica a mais de 4.600 km de altitude, aos pés da montanha nevada. A chegada nesse ponto é já no segundo dia.

Os dois primeiros dias são os mais intensos e frios. Depois, o caminho continua em uma descida, entre vegetação nativa, árvores cheias de frutas, e vistas deslumbrantes. Nessa trilha, diferente das outras, não há visitação de sítios arqueológicos pelo caminho mas as paisagens compensam.

São pouco menos de 70 km em quatro dias para chegar no Santuário Histórico no quinto. Com certeza vale a pena para quem está em busca de aventuras.

Veja os detalhes como conseguir o que precisa para fazer a Trilha Salkantay até Machu Picchu.

Como ir para Machu Picchu barato

Vista aérea de Ollantaytambo que se tem a partir da trilha Pinkuylluna Granaries
Vista de Ollantaytambo – Foto: Eric Hossinger via Flickr

Uma das formas de economizar na viagem até Machu Picchu é pegar o trem na cidade de Ollantaytambo (ou Ollanta, como também é chamada). Como a estação fica no meio do caminho entre Cusco e a cidadela, a passagem também sai mais barata. As hospedagens na cidade são bem em conta também, o que pode compensar no final.

Para chegar à Ollanta, a forma mais barata é pegar um ônibus comum em Cusco. A viagem dura cerca de 2h30 e custa cerca de seis dólares. Outra opção é pegar táxi ou minivan, que são mais rápidos e os valores podem ser divididos entre você e seu grupo de viagem.

Para economizar ainda mais, chegando em Aguas Calientes você pode optar por caminhar até a entrada do Santuário Histórico. Existe um ônibus que leva pouco mais de 20 minutos nesse trajeto, a um custo de 24 dólares por adulto. A pé, porém, você não paga nada – só vai ter que caminhar uma ou duas horinhas em uma escada morro acima. 😅

Como já falamos as trilhas até Machu Picchu são ainda mais caras. As agências oferecem tudo que é necessário, e isso tem um preço – começam em 250 dólares por pessoa.

Se você optar por ir por conta própria não vai pagar esse valor para as agências, mas vai precisar de todo o equipamento, que também é caro. Ou seja: não vale a pena, pois você vai gastar até mais, e pode ser perigoso e nós não recomendamos.

Além disso, não se esqueça de adquirir seu seguro viagem para Machu Picchu!

Estação hidrelétrica para Machu Picchu

Inicio do Caminho da hidrelétrica para Machu Picchu mostrando uma ponte com trilhos de trem passando por cima de um rio, com várias montanhas ao fundo
Inicio do caminho da hidrelétrica para Machu Picchu

Existe uma outra alternativa barata para chegar em Machu Picchu. É o famoso caminho da hidrelétrica, que funciona assim: um transporte sai de Cusco até um vilarejo próximo. Chegando lá, você deve seguir os trilhos do trem a pé, por cerca de duas a três horas, dependendo do seu ritmo.

Essa trilha não passa por nenhum túnel, como outras que são proibidas por questões de segurança (se passar por algum, é porque errou o caminho). Mesmo assim, em alguns momentos pode acontecer de o trem passar – aí é preciso dar espaço e esperar ele ir embora. Depois da caminhada, você chega em Aguas Calientes no fim do dia.

Existem agências que organizam esse passeio, e nós super recomendamos, por ser mais seguro. O preço gira em torno de 18 dólares, com transfer até o ponto de início do trajeto a pé para Aguas Calientes. A volta é no mesmo local, no início da tarde do dia seguinte.

Mas essa opção tem pontos negativos: o caminho de van é longo, são cerca de 7h rodando. A estrada é terrível, com pouco espaço, além de beirar um precipício, então, não é indicada pra quem tem medo de altura. Fora isso, envolve uma boa caminhada, e o tempo para conhecer o sítio sagrado fica corrido.

Dicas para Machu Picchu

mulher em pé e de costas para a câmera, no lado esquerdo da imagem, usando um chapéu e olhando para a montanha de machupicchu que está parcialmente escondida por algumas nuvens no lado direito da imagem
Machu Picchu – Foto: Nátalie Guimarães
  • Não se aventure sozinho pelos andes peruanos. Se fizer trilha ou qualquer tour pela região do Vale Sagrado, feche o passeio com uma agência
  • Compre o bilhete de trem com antecedência, pois eles podem se esgotar (principalmente durante a alta temporada)
  • Procure não fazer bate e volta até Machu Picchu – a viagem é longa e cansativa. Tente se organizar para dormir uma noite em Machupicchu Pueblo e deixe para visitar a atração no outro dia
  • Se quiser economizar, vale a pena dormir em Ollanta um dia, pegar o trem na estação na cidade e aí conhecer Machu Picchu
  • Evite ir a Montanha Sagrada aos domingos. Nesse dia os peruanos não pagam a entrada do parque, por isso normalmente fica mais cheio
  • Leve água e lanchinhos na mochila. No Santuário Histórico de Machu Picchu não existem vendedores ambulantes. E banheiros só existem na parte de fora

Reserve sua excursão de dois dias a Machu Picchu com ingressos para aproveitar ao máximo o destino.

Onde ficar em Machu Picchu

mulher de costas para a câmera se espreguiçando em cima da cama, olhando para as paredes de vidro do quarto que dão vista para as montanhas peruanas, na região do Valle Sagrado, no Peru.
Clique na imagem e faça sua reserva no Las Qolqas EcoResort Ollantaytambo

Se você ainda não sabe onde ficar em Machu Picchu, então está na hora de conferir nosso conteúdo completo a respeito da região. Abaixo você conhece algumas das principais indicações de estadia:

Veja mais opções de onde ficar em Machu Picchu.

E aí, já decidiu como chegar em Machu Picchu? Você é dos que prefere o conforto do trem, ou vai arriscar uma aventura e partir em uma trilha?

Veja mais dicas sobre Machu Picchu

As dicas ainda não acabaram! Deixamos abaixo uma lista de posts completos para te dar uma mãozinha no planejamento da sua viagem:

Conta pra gente qual caminho você escolheu! E se ficou com alguma dúvida conta aqui pra gente…

Dúvidas frequentes

Como ir para Machu Picchu saindo do Brasil?

O trajeto do Brasil até Machu Picchu começa pousando em Lima, capital peruana, e de lá embarcando em outro voo com destino a Cusco. A partir dali é preciso pegar um ônibus ou trem rumo a Machupicchu Pueblo (também conhecido como Aguas Calientes) onde fica a montanha sagrada de Machu Picchu.

Qual é o aeroporto mais próximo de Machu Picchu?

O aeroporto mais próximo de Machu Picchu fica em Cusco, a cerca de 75 km de distância, no Aeroporto Internacional Alejandro Velasco Astete.

Quanto custa o trem para Machu Picchu?

O valor dos trens para Machu Picchu altera de acordo com a empresa ferroviária, o tipo de experiência contratada, o vagão escolhido, a estação de embarque e a época do ano. Assim, o valor custa, em média, a partir de US$ 55.

Qual a forma mais barata de chegar a Machu Picchu?

A forma mais barata de chegar em Machu Picchu é pegando um ônibus de Cusco até a Hidrelétrica, a cerca de oito horas de distância. Dali em diante é preciso percorrer 11 km a pé até a entrada de Machupicchu Pueblo, onde fica a montanha sagrada. Somente então você poderá pegar o ônibus da cidade até a entrada do parque histórico, num trajeto que leva 20, 25 minutos.

Quantos dias ficar em Machu Picchu?

Você pode reservar um dia inteiro para conhecer Machu Picchu e se hospedar uma noite no vilarejo conhecido como Aguas Calientes. Mas se quiser aproveitar o passeio com mais tranquilidade, dois dias são mais do que suficientes para curtir a atração.